Exercitando o perdão

José demorou para se revelar aos seus irmãos, mas não porque estava tramando uma vingança, mas sim porque muitos anos haviam se passado e ele desconhecia o caráter daqueles homens. José foi cauteloso e garantiu a prova de que seu irmão mais novo estava vivo. E quando se sentiu seguro, declarou palavras lindas, onde não havia ressentimento ou mágoa, mas sim muito amor e perdão.

“Cheguem mais perto”, disse José a seus irmãos.
Quando eles se aproximaram, disse-lhes:
“Eu sou José, seu irmão, aquele que vocês venderam ao Egito!
Agora, não se aflijam nem se recriminem por terem me vendido para cá, pois foi para salvar vidas que Deus me enviou adiante de vocês. Já houve dois anos de fome na terra, e nos próximos cinco anos não haverá cultivo nem colheita. Mas Deus me enviou à frente de vocês para lhes preservar um remanescente nesta terra e para salvar-lhes as vidas com grande livramento.
Assim, não foram vocês que me mandaram para cá, mas sim o próprio Deus.” (Gn 45:4-8)

José eliminou de imediato qualquer possibilidade de uma reação defensiva e hostil por parte de seus irmãos. Tomou a frente da situação e lavou a alma, derramou seu coração. Que tal aprender a perdoar como José?

Você também vai gostar de ver:

Deixe aqui seu comentário sobre o Clamarei.