Archive for 31 de agosto de 2012

Deus de todos os lugares

Sou eu apenas um Deus de perto - pergunta o Senhor,
e não também um Deus de longe?
Poderá alguém esconder-se sem que eu o veja? - pergunta o Senhor.
Não sou eu aquele que enche os céus e a terra? – pergunta o Senhor.
(Jr 23:23-24)

No curso da história da humanidade temos visto o homem à procura de um Deus. Na ânsia por satisfazer os seus próprios desejos, muitas civilizações instituíram crenças politeístas, onde cada divindade tratava especificamente de um determinado assunto – havia deuses que controlavam fenômenos naturais, como o mar e os ventos, e ainda aqueles dedicados a sentimentos, como o amor e o ódio. Nesse sistema, de acordo com a carência do momento, o pedido é destinado a um ou outro deus. Infelizmente, o politeísmo não faz parte apenas da antiguidade, mas ainda está presente em muitas religiões modernas e naquelas que sobreviveram ao tempo.

Mas, meu inconformismo fica por conta da necessidade de tantos deuses, afinal, para que ter um deus para perto e um para longe (não, não estamos falando de óculos!), se há um único Deus que está em todos os lugares?

Mais uma vez a resposta está dentro de nós. Nossa teimosia e rebeldia nos faz tentar ser Deus e, por mais estranho que isso possa parecer, estamos tentando ser Deus quando instituímos falsos deuses e os adoramos. Sim, porque somos nós tentando estabelecer o que nós julgamos ser o melhor deus para nós – ainda que seja necessário mais de um.

Não podemos esconder nada de Deus. Ele preenche os céus e a terra. Ele é Deus de tudo e para todos. E os que crêem nEle, e somente nEle, beberão da água da vida.

“Mas aquele que beber da água que Eu lhe der nunca terá sede, porque a água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.”
(Jo 4:14)

Confiança que salva

Acerca de Edom, assim diz o Senhor dos Exércitos: “Será que já não há mais sabedoria em Temã? Será que o conselho desapareceu dos prudentes? A sabedoria deles deteriorou-se?”
(Jr 49:7)

Temã era provavelmente uma cidade conhecida pela sabedoria de seus habitantes. Mas nem todos os sábios deste mundo reunidos podem superar o conhecimento de Deus e evitar que se cumpra a Sua vontade. A sabedoria de Temã não a pôde salvar da ira de Deus.

Para que confiar no nosso falho discernimento quando Deus nos permite desfrutar de Sua infinita sabedoria? Só o Senhor pode nos libertar. Só Ele pode nos salvar.
Creia e confie em Deus!

De barro a vaso

Esta é a palavra que veio a Jeremias da parte do Senhor:
“Vá à casa do oleiro, e ali você ouvirá a minha mensagem”.
Então fui à casa do oleiro, e o vi trabalhando com a roda.
Mas o vaso de barro que ele estava formando se estragou-se em suas mãos;
e ele o refez, moldando outro vaso de acordo com a sua vontade.

Então o Senhor dirigiu-me a palavra:
“Ó comunidade de Israel, será que não posso eu agir com vocês como fez o oleiro?”, pergunta o Senhor. “Como barro nas mãos do oleiro, assim são vocês nas minhas mãos, ó comunidade de Israel. 
(Jr 18:1-6)

Quando um vaso de barro era moldado na roda do oleiro, frequentemente surgiam defeitos. O oleiro tinha poder de decidir se o barro continuaria com suas imperfeições ou seria remodelado. Semelhantemente, Deus tem o poder para moldar seu povo, para fazer com que esteja em conformidade com os seus propósitos. Nossa estratégia não deve ser a de ficar descuidados e passivos, como o inanimado barro, devemos mostrar disposição e receptividade ao impacto de Deus em nossa vida. Quando nos rendemos ao Senhor, Ele começa a moldar-nos e a transformar-nos em vasos valiosos.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Aquele a quem eu louvo

Embora os nossos pecados nos acusem, age por amor do teu nome, ó Senhor!
Nossas infidelidades são muitas; temos pecado contra ti.

Senhor, reconhecemos a nossa impiedade e a iniqüidade dos nossos pais;
temos de fato pecado contra ti.

Por amor do teu nome não nos desprezes; não desonres o teu trono glorioso.
Lembra-te da tua aliança conosco e não a quebres. 

(Jr 14:7, 20-21)

Cura-me, Senhor, e serei curado;
salva-me, e serei salvo, pois tu és aquele a quem eu louvo. 
(Jr 17:14)

Sabedoria e poder pertencem a Deus

Louvado seja o nome de Deus para todo o sempre;
a sabedoria e o poder a Ele pertencem.
Ele muda as épocas e as estações; destrona reis e os estabelece.
Dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos que sabem discernir.
Revela coisas profundas e ocultas;
conhece o que jaz nas trevas, e a luz habita com Ele.
(Dn 2:20-22)

Fiel ao chamado

O que o profeta Jeremias anunciou a todo o povo de Judá e aos habitantes de Jerusalém foi isto:
Durante vinte e três anos a palavra do Senhor tem vindo a mim, desde o décimo terceiro ano de Josias, filho de Amom, rei de Judá, até o dia de hoje. E eu a tenho anunciado a vocês, dia após dia, mas vocês não me deram ouvidos.
(Jr 25:2-3)

Imagine pregar a mesma mensagem durante 23 anos e ser continuamente rejeitado!

Jeremias enfrentou uma situação como esta, mas, por estar comprometido com Deus, continuou a proclamar: “Converta-se cada um do seu caminho mau e de suas más obras”. Independente da resposta do povo, Jeremias não desistiu. 

Deus nunca deixa de amar-nos, mesmo quando o rejeitamos. Podemos agradecer a Ele por não desistir de nós e, como Jeremias, comprometer-nos a nunca abandoná-lo. A despeito da reação que as pessoas tenham quando você lhes falar a respeito de Deus, permaneça fiel ao elevado chamado que recebeu dEle e continue a testemunhar.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

O Senhor é a minha força

Plano de leitura diário da bíblia para 2012 – Semana 35

Clique aqui para ter acesso ao plano de leitura completo.

Prontos para o trabalho

No início do reinado de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá, veio esta palavra da parte do Senhor a Jeremias:
“Assim diz o Senhor:
Coloque-se no pátio do templo do Senhor e fale a todo o povo das cidades de Judá que vem adorar no templo do Senhor. Diga-lhes tudo o que eu lhe ordenar; não omita uma só palavra.”
(Jr 26:1-2)

Ah, que tarefa difícil foi confiada a Jeremias! Anunciar no meio da cidade, na frente de todos, para quem quisesse ouvir, que maldição cairia sobre aquela terra se não houvesse arrependimento (Jr 26:4-6).

Mas Jeremias não temeu ou hesitou. Seguiu firme e cumpriu seu chamado, mesmo enfrentando a morte (Jr 26:14).

Certamente não foi fácil. Mesmo bons homens têm dificuldades para enfrentar grandes desafios, ainda que seja em nome de Deus…

Lembram-se, por exemplo, do que fez Jonas ao ser chamado a pregar contra Nínive? Ele fugiu. Mas fugir não foi a melhor solução…
(Clique aqui e leia mais sobre a fuga de Jonas)

Ao sermos convocados por Deus para proclamar Sua glória e anunciar Sua salvação, estejamos como Jeremias, prontos para o trabalho.

Verdadeira glória

“Não se glorie o sábio em sua sabedoria
nem o forte em sua força
nem o rico em sua riqueza
Mas quem se gloriar, glorie-se nisto:
em compreender-me e conhecer-me,
pois eu sou o Senhor e ajo com lealdade,
 com justiça e com retidão sobre a terra,
pois é dessas coisas que me agrado”, declara o Senhor.

(Jr 9:23-24)