Archive for Ester

Calar ou falar

A história de Ester nos ensina dois importantes princípios:

1) Devemos aprender a calar

Ester ouviu o seu mentor – seu tio Mardoqueu – e manteve segredo sobre sua nacionalidade e descendência (Et 2:10). Este segredo preservou sua vida e permitiu a ela ter acesso ao rei.

Aprender a calar e ouvir pode nos dar acesso ao mundo de outra pessoa e certamente nos ajuda a entender os outros melhor. Apenas entendendo melhor as pessoas ao nosso redor poderemos verdadeiramente surtir alguma influência em suas vidas e, talvez, ajudar a mudar o curso de suas histórias.

2) Devemos aprender quando falar

Ester escolheu cuidadosamente o momento de falar e só então expôs a dura verdade:
O inimigo era o conselheiro de confiança do rei (Et 7:6a)

Manter nossa fé em segredo é um hábito quase sempre motivado pelo medo e pela vergonha. Mas Jesus emite um aviso severo para aqueles que não estão dispostos a falar em seu nome:

Porquanto, qualquer que se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos. (Mc 8:38)

O Apostolo Paulo explica por que não devemos ter vergonha de falar de Jesus:

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. (Rm 1:16)

No entanto, o falar pode significar sofrimento e Paulo entendia bem desse assunto…

Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus. (2 Tm 1:8)

O silêncio estratégico é sábio, e nos dá a oportunidade de ouvir o outro lado. Mas quando há uma oportunidade temos de estar preparados para falar e responder apropriadamente.

Estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós. (1 Pedro 3:15)

Adaptado de: Central do Sermão – A mulher que disse sim para Deus.

Sim para Deus

O livro de Ester nos ensina que Deus é o regente da história, mas Ele escolhe desenvolver a história por meio de pessoas comuns.

Ester foi usada para mudar o curso da história de toda uma nação – mas isso só aconteceu porque ela disse sim para Deus. Se Ester não tivesse concordado, Deus teria assim mesmo salvo o Seu povo, mas teria usado outra pessoa para fazê-lo.

Assim como Ester, diga SIM para Deus. Comece mudando o curso de sua própria história.

Adaptado de: Central do Sermão - A mulher que disse sim para Deus.

275º dia: Et 8-10

Ester e Mardoqueu conseguiram a permissão do rei Assuero para que escrevessem um decreto a favor dos judeus. Assim foi feito. A lei que determinava o extermínio do povo de Deus não podia ser revogada, mas agora eles estavam autorizados a defenderem suas vidas, suas famílias e seus bens. E ainda poderiam tomar os despojos dessa batalha. Com a ajuda de Deus, os judeus sobreviveram ao treze de Adar. E não saquearam os bens dos seus inimigos como teriam o direito de fazer, apenas queriam viver. E viveram. (Et 8:8 e 11 / 9:10, 15 e 16)

Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. (Jo 6:33)

274º dia: Et 4-7

O perverso Hamã havia conseguido junto ao rei Assuero emitir um decreto que marcava o dia da morte de todos os judeus. Seriam legalmente exterminados, como gado pronto para o abate.

A triste notícia se espalhou por todo o reino persa e foi Mardoqueu quem providenciou para que Ester tomasse conhecimento a respeito. A rainha sabia que, estando tão próxima do rei, poderia buscar nele ajuda para povo judeu. Mas em vez de desesperar-se e agir inconsequentemente, avaliou bem a situação e se preparou para agir. Já fazia muitos dias que ela não via o rei. Ester sabia que se fosse à presença do rei Assuero sem ser chamada poderia ser morta, como dizia a lei, e não haveria ajuda alguma para os judeus. Então todo o povo, incluindo a própria rainha, jejuaram e oraram por três dias. Imagino a rainha Ester implorando à Deus que fizesse com que o rei à procurasse e assim ela teria oportunidade de fazer a ele seu pedido. Deus não atendeu esse pedido, mas não deixou Ester e os judeus desamparados. Ao final dos três dias a rainha se preparou, encheu-se de coragem e foi até o rei, cheia de medo, certamente, mas segura do que devia fazer. E alcançou graça aos olhos do rei, que não apenas a perdoou por ter lhe procurado, mas se dispôs a atender qualquer pedido que a rainha lhe fizesse.

Deus atendeu os pedidos de Ester, mas provavelmente não da forma como ela esperava. Se os seus pedidos não têm sido atendidos, não desanime. Deus está preparando algo melhor para você!

Como está escrito: Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam. (1 Co 2:9)

273º dia: Et 1-3

Ester é um livro que já li mais de uma vez. É uma história linda, com muitos personagens expressivos.

Mardoqueu foi o primo de Hadassa – a menina que viria a se tornar a rainha Ester – e era um homem de grande fé.

Há poucos dias lemos em Daniel a história de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, que foram lançados em uma fornalha em chamas por não terem se curvado diante da imagem de ouro erguida pelo rei Nabucodonosor (Dn 3:4-6, 14-30). Na leitura de hoje é Mardoqueu quem se recusa a oferecer a outro, que não Deus, sua reverência.

E todos os servos do rei, que estavam à porta do rei, se inclinavam e se prostravam perante Hamã; porque assim tinha ordenado o rei acerca dele; porém Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava. (Et 3:2)

A vida de Mardoqueu não foi apenas poupada, mas também usada por Deus para o livramento de todo o povo judeu.

Se permanecermos na fé, podemos seguir confiantes, pois eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele nos livrará da fornalha de fogo ardente. (Dn 3:17)

Disse Jesus:
E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo. (Mc 13:13)