Archive for Êxodo

Bênção especial

Honra teu pai e tua mãe“, este é o primeiro mandamento com promessa: “para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra“. (Ef 6:2-3)

Este é o quinto mandamento, mas o primeiro com promessa. O fato de ser o primeiro mandamento com promessa não significa que a observância dos quatro primeiros não será refletida em bênção, mas simplesmente que nenhuma bênção específica foi prometida.

É verdade, de fato, que há uma declaração geral anexa ao segundo mandamento, de que Deus trata com bondade até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos (Êx 20:6). Mas esta é uma declaração em relação a todos os mandamentos de Deus, não uma promessa vinculada a um mandamento específico – É uma garantia de que a obediência à lei de Deus seria seguida de bênçãos para milhares de gerações.

Já a promessa do quinto mandamento é uma promessa especial. Não se refere à obediência a Deus em geral, mas é uma garantia especial de que aqueles que honram seus pais terão uma bênção especial como o resultado de sua obediência.

Fonte: StudyLight.org

Vale a pena repetir:

Honra teu pai e tua mãe,
a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor teu Deus te dá.
(Êx 20:12)

Deus verdadeiro

Os ídolos são adorados ao longo da história. Mais que apenas uma estátua de pedra, podem ser quaisquer coisas ou pessoas que são mais reverenciadas do que Deus. Deste modo, a adoração a ídolos prevalece até hoje: as pessoas confiam em si mesmas, no dinheiro ou no poder e não no Senhor.

Mas no final ficará claro que todos os ídolos são desprezíveis e o Deus verdadeiro prevalecerá.

Palavra do SENHOR:
“Estenderei a mão contra Judá e contra todos os habitantes de Jerusalém. Eliminarei deste lugar o remanescente de Baal, os nomes dos oficiantes idólatras e dos sacerdotes, aqueles que no alto dos terraços adoram o exército de estrelas, que se prostram jurando pelo Senhor, e também por Moloque; aqueles que se desviam de seguir o Senhor; não o buscam nem o consultam. (Sf 1:4-6)

Busque o Senhor em primeiro lugar (Mt 6:33) e não tenha outros deuses diante dEle (Êx 20:3).

As águas se dividiram

A travessia do mar vermelho é passagem muito conhecida da história de Israel (Êx 14:22), mas o post do hoje é sobre a travessia do rio Jordão.

A entrada na terra prometida não poderia ser mais triunfante – atravessaram pelo meio do Rio em terra seca (Js 3:16). Era uma lembrança da libertação do Egito e um grande incentivo para que permanecessem firmes e obedientes a Deus.

Pela fé passaram o Mar Vermelho, como por terra seca (Hb 11:29b). Também pela fé passaram o Jordão, como por terra seca…

O SENHOR abre mar, abre rio… Tira de nossos caminhos todos os obstáculos que possam vir a nos afastar dEle. Mas precisamos buscar a Deus de todo o coração, servi-lo com amor e obedecê-lo como bons filhos… Alimentando nossa fé atravessamos até oceanos, como por terra seca.

Deus promete e cumpre

Ordenou o Senhor a Moisés: Saia deste lugar, com o povo que você tirou do Egito, e vá para a terra que prometi com juramento a Abraão, a Isaque e a Jacó, dizendo: ‘Eu a darei a seus descendentes’. (Êx 33:1)

Deus cumpre o que promete. Não necessariamente no nosso tempo, mas Suas promessas serão cumpridas.

Abraão não pôde ver com seus próprios olhos os seus descendentes se preparando para entrar na terra prometida. Mas, teve fé e acreditou nos planos de Deus para ele. Quando Deus fez a sua promessa a Abraão, por não haver ninguém superior por quem jurar, jurou por si mesmo, dizendo: “Esteja certo de que o abençoarei e farei seus descendentes numerosos”. Abraão, contra toda esperança, em esperança creu, tornando-se assim pai de muitas nações, como foi dito a seu respeito: “Assim será a sua descendência”. (Hb 6:13-14, Rm 4:18)

A Palavra de Deus está repleta de promessas e estas serão cumpridas. Mas como em uma guerra, para que um vença, é preciso que alguém pereça. Escolha lutar ao lado de Deus, aceitando Jesus Cristo como o seu Salvador, seja vitorioso com Cristo e veja as promessas de Deus se cumprirem em sua vida.

A benção da obediência

Ouro, prata, bronze, tecidos finos, pedras preciosas… Tudo de melhor foi usado para a construção do tabernáculo. Tudo ofertado pelo povo de bom grado. Tudo feito pelas mãos de homens, mas de acordo com o que Deus havia ordenado. Os israelitas seguiam a Deus e receberam bênçãos. Esse é sempre o resultado da obediência: bênçãos. E isso não significa que o obediente terá muitos bens materiais, mas sim que ele terá paz de espírito, desfrutará da verdadeira felicidade, que só é possível ao lado de Jesus.

Oferta voluntária

Então toda a comunidade de Israel saiu da presença de Moisés, e todos os que estavam dispostos, cujo coração os impeliu a isso, trouxeram uma oferta ao Senhor para a obra na Tenda do Encontro, para todos os seus serviços e para as vestes sagradas. (Êx 35:20-21)

Muitas pessoas ficam constrangidas quando se juntam as palavras ‘oferta’ e ‘igreja’. Mas não é necessário constrangimento algum. Aqueles que ofertam o fazem voluntariamente, porque sentem esse desejo no coração. Ofertar é uma forma de agradecer a Deus pelas bençãos concedidas e esse gesto traz alegria àquele que oferta. Não é uma obrigação. Não é uma imposição. É um desejo, uma tentativa de retribuir o presente concedido por Deus, a salvação.

Ofertar é ainda um ministério. Sim, afinal, o que seriam daqueles que se dispõe a ir pregar o evangelho por todo o mundo sem sustento? É um ministério importante como os demais – oração, intercessão… O que seria do “ide e pregai” se todos fossem chamados para o mesmo ministério? Cada contribuição é importante, seja ela financeira, intercessória ou braçal.

Se você não frequenta igreja alguma e um dos motivos é a “necessidade de ofertar”, meu conselho é: Esqueça o que dizem os homens e ouça o que Deus diz! Então, que tal visitar algumas igrejas com o coração aberto e procurar uma que esteja de acordo com a Palavra de Deus para que seja a sua igreja? Não se sinta constrangido ou compelido a ofertar. O convívio com a igreja, o corpo de Cristo, é importante. Não deixe que falsos rumores o afastem dessa experiência.

De pais para filhos

SENHOR, Deus compassivo e misericordioso, paciente, cheio de amor e de fidelidade, que mantém o seu amor a milhares e perdoa a maldade, a rebelião e o pecado. Contudo, não deixa de punir o culpado; visita a iniquidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até à terceira e quarta geração. (Êx 34:6-7)

Já ouvi mais de uma vez utilizarem esse versículo na tentativa de convencer que o SENHOR é Deus é vingativo e mau, já que castiga os filhos pela culpa dos pais. Mas isso não passa de desespero do inimigo para tentar cegar aqueles que ainda não conhecem a Verdade.

Sim, Deus visita a iniquidade dos pais sobre os filhos… E o que isso significa? Basta prestar atenção em nossa sociedade para entendermos. Nenhum pecado é pontual, sempre há as consequências. E essas consequências afetam sim os filhos, netos, etc. Bom seria se cada pecador pudesse fazer mal somente a si próprio, mas infelizmente, não é isso o que vemos. Agora, isso significa que Deus é mau? De forma alguma. Somos responsáveis por nossas decisões e pelas consequências também. Deus é tão bom que permitiu que fosse assim, caso contrário não passaríamos de marionetes. Desfrutamos do livre arbítrio, mas também de toda responsabilidade inerente.

Todas as nossas ações afetam todos à nossa volta. Quando escolhemos fazer o bem, disseminamos amor, compaixão, honestidade… Mas quando optamos pelo caminho do pecado, distribuímos rancor, ira, inveja…

O que desejamos para nossos filhos? Nossas escolhas hoje certamente irão contribuir para o que eles serão no futuro.

Experiência individual

O povo de Israel pecou. Atribuiu a um bezerro de ouro a libertação do Egito. A espera de 40 dias pela volta de Moisés do monte foi demais para eles (Êx 32:1-5).

Ao retornar de seu encontro com Deus, Moisés irou-se, deixando cair as tábuas da lei, que o próprio Deus havia lhe dado (Êx 32:19).

Mas Moisés amava aquele povo teimoso e pecador. Depois de destruir o ídolo e de alertar a todos acerca do grande erro que haviam cometido, Moisés dirigiu-se a Deus para pedir o perdão para todos, colocando-se como fiador ao oferecer a própria vida por eles.

Assim, Moisés voltou ao Senhor e disse: “Ah, que grande pecado cometeu este povo! Fizeram para si um deus de ouro. Mas agora, eu te rogo, perdoa-lhes o pecado; se não, risca-me do teu livro que escreveste”. (Êx 32:31-32)

Mas a resposta de Deus não foi afirmativa ou negativa. O SENHOR apenas enfatizou que riscaria do livro todo aquele que pecasse contra Ele.

Talvez Moisés tenha se entristecido, pois entendeu ali que não poderia defender a todos. Cada um seria responsabilizado pelos seus próprios atos.

Como somos abençoados por estarmos debaixo da nova aliança! Jesus pagou o nosso resgate, lavou com sangue os nossos pecados. Mas a salvação ainda é um ato do indivíduo. Uma mãe não pode aceitar a Jesus pelo filho, ou a esposa pelo cônjuge. Cada um de nós precisa ter a sua própria experiência com Cristo e escolher segui-lo.

Oremos por nossos familiares, amigos, colegas de trabalho que ainda não abriram seus corações para aceitarem a verdade e desfrutarem da salvação. E que sejamos sal e luz na vida deles para guia-los a escolher o único caminho, que é Jesus.

Sacerdotes de Cristo

Arão e seus descendentes, os levitas, foram separados para o sacerdócio. Eram os mediadores entre Deus e os homens. (Êx 28:1)

E hoje, onde estão os levitas? Na verdade, na nova aliança, todo aquele que crê em Jesus Cristo, o sumo sacerdote (Hb 2:17), torna-se sacerdote de Cristo.

Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Antes vocês nem sequer eram povo, mas agora são povo de Deus; não haviam recebido misericórdia, mas agora a receberam. (1 Pe 2:9-10)

Aceite hoje essa missão. Que sua vida seja sal e luz para os que estão a sua volta. Como sacerdotes, preguemos o evangelho a toda criatura. Amém.

Somos capazes

Deus instruiu Moisés a respeito da construção da Tenda do Encontro e de todos os seus móveis e utensílios. E antes que Moisés pudesse reclamar acerca da dificuldade que teria para conseguir confeccionar aqueles objetos, Deus já lhe deu a resposta:

Disse então o Senhor a Moisés:
Eu escolhi a Bezalel, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, dando-lhe destreza, habilidade e plena capacidade artística para desenhar e executar trabalhos em ouro, prata e bronze, para talhar e esculpir pedras, para entalhar madeira e executar todo tipo de obra artesanal.
Além disso, designei Aoliabe, da tribo de Dã, para auxiliá-lo. Também capacitei a todos os artesãos para que executem tudo o que lhe ordenei. (Êx 31:1-6)

Podemos achar algo muito difícil, mas não podemos esquecer que, se esta for a vontade de Deus, Ele nos capacitará e teremos habilidade suficiente para executar o que seja. Deus é o SENHOR. Ele é o Deus que me reveste de força e torna perfeito o meu caminho (Sl 18:32).