Archive for Ezequiel

Cidade santa

Ezequiel 47 apresenta uma descrição das várias porções de terra pertencente a cada uma das tribos de Israel. Mas, nos tempos da nova aliança eis que tudo se fez novo.

Na igreja de Cristo o acesso é gratuito pela fé. Cristo abriu o reino dos céus para todos os crentes. Quem quiser, pode vir e tomar da água da vida, da árvore da vida, livremente. Isto é verdade para cada cristão verdadeiro.

Que sejamos todos habitantes desta cidade santa, agindo de acordo com o exemplo de Cristo, podendo, então, desfrutar do benefício da presença do Senhor, na vida, na morte e para sempre.

Adaptado de Christ Notes – Bible commentary

Lei fundamental

Esta é a lei da casa: Sobre o cume do monte todo o seu contorno em redor será santíssimo; eis que esta é a lei da casa. (Ez 43:12)

A lei fundamental do Templo de Deus era a santidade.

Deus é santo, perfeito e inculpável. Não existe nEle um traço de mal ou de pecado. Da mesma maneira que Deus é santo, nós devemos ser santos (Lv 19:2 / 1 Pe 1:15-16). As pessoas se tornam santas quando se dedicam a Deus e se afastam do pecado. É importante entender o conceito de santidade, para que possamos progredir em nosso crescimento espiritual.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Visão do plano perfeito

Ezequiel estava exilado na Babilônia quando em visões de Deus foi levado à terra de Israel (Ez 40:2).

Descrevendo a visão, Ezequiel explica como seria o local da habitação de Deus por meio de palavras que as pessoas podiam entender. Deus queria que vissem o grande esplendor que Ele havia planejado para os que vivessem fielmente.

Um templo como o que viu Ezequiel nunca foi construído, mas a visão tinha o objetivo de mostrar o plano perfeito de Deus para o seu povo: a adoração, a presença do Senhor, as bênçãos decorrentes destas. Ao ler os Capítulos 40 a 43 de Ezequiel, não deixe os detalhes obscurecerem os pontos principais desta visão. Um dia todos aqueles que forem fiéis a Deus desfrutarão a vida eterna com Ele. Deixe a excelência desta visão erguê-lo e ensiná-lo sobre o Deus a quem você serve e adora.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Não há impossível

Na visão do vale de ossos secos recordamos a criação do homem em duas partes: formado do pó e completado com o fôlego da vida.

Deus mostra os ossos ao profeta Ezequiel, que os descreve como sendo muito secos e em grande quantidade. A pergunta que Deus fez a Ezequiel é de grande importância:

Filho do homem, estes ossos poderão tornar a viver? (Ez 37:3a)

Impossibilidade, pensaríamos nós. São muitos ossos, estão secos, não há mais chance. A resposta do profeta, no entanto, foi proveniente da maturidade de seu relacionamento com o Senhor:

Senhor DEUS, tu o sabes. (Ez 37:3b)

Impossibilidade? Não para Deus.

“Profetiza, Ezequiel!” E o servo cumpre a ordem do Senhor. Ouve-se um barulho forte, os ossos se juntam, agora não são mais secos, são fruto da Palavra do Senhor.

Volta a ordem do Senhor da vida a Ezequiel:

Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor DEUS: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. (Ez 37:9)

Mais uma vez, o obediente profeta cumpre a ordem:

E profetizei como Ele me deu ordem; então o espírito entrou neles, e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo. (Ez 37:10)

A visão fala da recondução de um Israel purificado, o que aconteceria após o período de exílio. O povo que se considerava morto e sem futuro ouve uma ordem que o devolve à vida. A visão de Ezequiel, relatada ao povo, devolveu a esperança aos exilados que anelavam serem restaurados.

Impossibilidade? Não para Deus. O reavivamento é obra dEle. Do princípio ao fim, é ação, dEle. A nós cabe a singela ação de obedecer ao que Ele disse.

Extraído de A Coluna da Verdade (estudos)

Clique aqui e leia o texto completo sobre o vale de ossos secos.

Meu Pastor

Porque assim diz o Soberano Senhor:

Eu mesmo buscarei as minhas ovelhas e delas cuidarei. 
Assim como o pastor busca as ovelhas dispersas quando está cuidando do rebanho, também tomarei conta de minhas ovelhas. Eu as resgatarei de todos os lugares para onde foram dispersas num dia de nuvens e de trevas. Eu mesmo tomarei conta das minhas ovelhas e as farei deitar-se.

“Vocês, minhas ovelhas, ovelhas da minha pastagem, são o meu povo, e eu sou o Deus de vocês”, palavra do Soberano Senhor.

(Ez 34:11-12, 15, 31)

Certamente acontecerá

“Quando tudo isso acontecer — e certamente acontecerá — eles saberão que um profeta esteve no meio deles”. (Ez 33:33)

Essa foi a afirmação mais triste do texto de hoje. Os povo convivia com um mensageiro de Deus, eram aconselhados por ele, mas não lhe davam atenção. As palavras ditas pelo profeta eram ouvidas, mas não colocadas em prática (Ez 33:32b). E então Deus diz a Ezequiel: ‘Não se preocupe, meu servo. A palavra que você prega em meu nome se cumprirá, e então este povo teimoso reconhecerá que você era verdadeiramente um profeta de Deus.’

Você não ficaria triste se estivesse no lugar de Ezequiel? Eu sim.
As pessoas acreditariam nele, mas apenas depois de concretizadas as desgraças causadas pelo pecado que dominava o povo; acreditariam nele quando já não houvesse mais tempo para arrependimento.

Não sejamos rebeldes como Israel.
Creia em Jesus hoje! No dia do juízo poderá não haver mais tempo para arrependimento.

Beleza perfeita

Assim diz o Soberano Senhor: Você diz, ó Tiro: “Minha beleza é perfeita”.
Seu domínio abrangia o coração dos mares; seus construtores levaram a sua beleza à perfeição. (Ez 27:3-4)

A beleza de Tiro era a fonte do seu orgulho; e esta foi a razão de seu julgamento.

A presunção e o orgulho por nossas realizações devem ser um sinal de perigo para nós. Deus não é contra sentirmos prazer ou satisfação naquilo que fazemos; Ele é contra a arrogância e a soberba, pois fazem com que uma pessoa trate as demais com desprezo. Devemos reconhecer Deus como a base e a fonte de nossa vida!

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Ouçam agora, vocês que dizem:
“Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro”.

Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida?
Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa.

Ao invés disso, deveriam dizer:
“Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo”.

Agora, porém, vocês se vangloriam das suas pretensões.
Toda vanglória como essa é maligna.

Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado.

(Tg 4:13-17)

Panela de pecados

Porque assim diz o Soberano Senhor:
“Ai da cidade sanguinária, da panela que agora tem uma crosta,
cujo resíduo não desaparecerá!” (Ez 24:6)

A cidade de Jerusalém era tão incrustada de pecados quanto uma panela muito suja, que não poderia ser limpa.

Deus quis purificar a vida dos habitantes de Jerusalém, e deseja fazer o mesmo com a nossa vida hoje. Às vezes Ele tenta purificar-nos através de dificuldades e circunstâncias problemáticas. Quando você enfrentar tempos difíceis, permita que o pecado seja eliminado de sua vida e olhe para o seus problemas como oportunidades para que sua fé cresça.

Adaptado de Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Cidade sanguinária

E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Tu, pois, ó filho do homem, porventura julgarás, julgarás a cidade sanguinária? Faze-lhe conhecer, pois, todas as suas abominações. 
(Ez 22:1-2)

Deus chama Jerusalém de “cidade sanguinária”. Através dos tempos, e até os dias de hoje, Jerusalém tem sido chamada de “cidade santa”. Mas Deus não a enxergou como santa nesta ocasião.

Ser “santo” significa ser separado, para ser consagrado ou dedicado para o propósito de Deus. Mas Jerusalém não tinha se comportado como uma cidade sagrada por um longo tempo. Agora, só era possível identificá-la como cidade sanguinária.

Deus está olhando para nós hoje… O que Deus diria a nosso respeito hoje?

Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito:
“Sede santos, porque Eu sou santo”. 

(1 Pe 1:15-16)

Sejamos santos em Cristo Jesus.

Nem uma lembrança

Aquele que pecar é que morrerá. O filho não levará a culpa do pai, nem o pai levará a culpa do filho. A justiça do justo lhe será creditada, e a impiedade do ímpio lhe será cobrada.

Mas, se um ímpio se desviar de todos os pecados que cometeu e obedecer a todos os meus decretos e fizer o que é justo e direito, com certeza viverá; não morrerá.
Não se terá lembrança de nenhuma das ofensas que cometeu. Devido às coisas justas que tiver feito, ele viverá.
(Ez 18:20-22)

Que difícil depender de nossa própria justiça, não acha?

No antigo testamento ser justo significava adorar a Deus e somente a Ele, não matar, não adulterar, não roubar, guardar o sábado, oferecer sacrifícios, enfim, cumprir a lei.

Mas Jesus ofereceu por nós um sacrifício único e perfeito e fez conosco uma nova aliança. Por que cremos nEle, nossa conduta é transformada, ou seja, matar, roubar, adulterar, etc, deixam de fazer parte de nossas vidas.
E nossas ofensas também serão esquecidas, pois, pelo sangue de Jesus derramado na cruz, fomos santificados (Hb 13:12) e nossos pecados foram lavados (Ap 1:5). Fomos purificados de todo pecado (1 Jo 1:7).

Em Jesus viveremos!

Deus “retribuirá a cada um conforme o seu procedimento”.
Ele dará vida eterna aos que, persistindo em fazer o bem,
buscam glória, honra e imortalidade.
Mas haverá ira e indignação para os que são egoístas,
que rejeitam a verdade e seguem a injustiça.
Pois o salário do pecado é a morte,
mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

(Rm 2:6-8 / 6:23)