Archive for Neemias

Agradeça as bênçãos

Mesmo quando estavam no reino deles, desfrutando da tua grande bondade na terra espaçosa e fértil que lhes deste, eles não Te serviram, ó Senhor, nem abandonaram os seus maus caminhos.

Quando foram oprimidos, clamaram a Ti. Dos céus Tu os ouviste, e na Tua grande compaixão deste-lhes libertadores, que os livraram das mãos de seus inimigos. 
Mas, tão logo voltavam a ter paz, de novo faziam o que tu reprovas. Então os abandonavas às mãos de seus inimigos para que dominassem sobre eles. E, quando novamente clamavam a Ti, dos céus Tu os ouvias e na Tua compaixão os livravas vez após vez(Ne 9:35, 27b-28)

Algumas vezes, as próprias bênçãos que Deus derrama sobre nós contribuem para que nos esqueçamos dEle. Somos frequentemente tentados a confiar nas riquezas como nossa segurança, em vez de confiarmos em Deus.

Ao considerar o que aconteceu com os israelitas, olhe para a sua própria vida. As bênçãos lhe tornam uma pessoa agradecida a Deus e lhe aproximam mais dEle, ou fazem com que você se sinta auto-suficiente e se esqueça de Deus?

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Vencendo a oposição

Logo que os judeus começaram a edificar os muros, sob a liderança de Neemias, os inimigos se manifestaram para tentar impedir que a obra fosse adiante (Ne 4:1).  O texto nos diz que Tobias (amonita), Sambalate (governador da Samaria) e Gesén (árabe) ficaram irados e criticaram os edificadores. Havia ali motivos étnicos, políticos e religiosos. Em nenhum momento, houve um ataque armado contra os judeus, mas muitas palavras foram usadas para intimidá-los. Os obreiros foram criticados, chamados de fracos. A obra foi criticada. Disseram que uma simples raposa derrubaria o muro que estava sendo levantado (Ne 4:3). Houve questionamento, acusação, calúnia, fofoca, ameaças (Ne 4; Ne 6). Cartas foram escritas e falsos profetas subornados para tentarem interferir na obra de Neemias (Ne 6).

Palavras são armas. Não podemos nos esquecer disso. Uma palavra pode ‘derrubar’ uma pessoa e destruir projetos e relacionamentos. Esta é uma das principais estratégias de Satanás no combate ao povo de Deus. Quando Jesus foi tentado no deserto, o inimigo usou palavras, com sofismas, propostas e questionamentos na intenção de induzi-lo ao erro (Mt 4). As afirmações malignas são contra o nosso caráter, capacidade e vocação, de modo que fiquemos desanimados e desistamos da missão que o Senhor nos confiou.

Neemias não deu ouvidos ao que o inimigo dizia. Continuou trabalhando com todo empenho. Diante de sua persistência, os inimigos mudaram a tática. Chamaram Neemias para um encontro, aparentemente amistoso. É assim também conosco. Quando Satanás não nos vence pela perseguição, procura aproximar-se de nós com aparência de amizade, transfigurado em anjo de luz (2 Co 11:14). Com isso, os adversários queriam tirar Neemias do seu propósito. Pretendiam interromper o trabalho, causar distração, atraso e, depois, destruição. Não podemos ceder.

Neemias disse: “Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer” (Ne 6:3). Não podemos, nem por um instante, ir até o inimigo. No território dele estaremos muito mais vulneráveis a sucumbir.

Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. (Hb 12:1-2)

Adaptado do Portal lagoinha.com – A missão de Neemias, por Anísio Renato de Andrade.

286º dia: Ne 10-13

Se Neemias terminasse no capítulo 12, seria um final comparável ao dos contos de fadas, com um belo “E viveram felizes para sempre…” O templo e o muro estavam reconstruídos, Jerusalém estava sendo repopulada, o povo havia assumido publicamente o compromisso de cumprir as leis de Deus, o ministério no templo estava restabelecido. Tudo ia muito bem… Mas, na ausência do líder Neemias o povo se deixa, outra vez, dominar por práticas desagradáveis a Deus. Todos haviam compreendido a Palavra do SENHOR e estavam ávidos por colocá-la em prática, tanto é que formalizaram essa vontade e assinaram de próprio punho. Ainda assim, na primeira oportunidade, se desviaram do caminho.

Ao ler o capítulo 13, acabei imaginando Neemias como uma muleta – Sem ela, o coxo cai.
Usando isso como ilustração, eu recomendo a você: muleta boa de verdade, só Jesus!
Os judeus contemporâneos de Neemias eram coxos, assim como todos nós. Procuraram por uma muleta e encontraram Neemias. E ele bem que tentou suportar o peso de todos, mas não foi forte o suficiente; nenhum homem nessa terra poderia ser. O apoio dos nossos amigos, pais e familiares é muito importante, mas nenhum deles pode substituir o que o SENHOR tem pra nós. Deposite suas esperanças em Jesus, que te dará forças para permanecer no caminho de Deus.

285º dia: Ne 7-9

O muro estava construído. Os portões estavam em seus lugares. Quanta alegria!
Mas Neemias não deu por completo seu trabalho. Ainda havia muito o que fazer.

Primeiro, tratou de manter a segurança na cidade. Não, o muro não era o suficiente. Era preciso manter-se alerta quanto a possíveis ataques e estabelecer regras para que a cidade não fosse novamente invadida e destruída.

Depois, mas não menos importante, todo o povo foi reunido em uma praça para ouvir a leitura do livro da lei. Durante uma manhã inteira a palavra de Deus foi lida e ensinada a todos, que permaneceram ali o tempo todo e não apenas ouviram, mas compreenderam as palavras que lhes foram explicadas.

Agora sim estava tudo em seu lugar: o templo, os muros e os corações dos judeus.

(Ne 7:1, 3, 5 / 8:1-12)

284º dia: Ne 4-6

Não basta acreditar, é preciso ter disposição para agir. Deus está deseja nos ajudar, mas precisamos trabalhar para que Ele possa agir por meio de nós.

Foi isso que o grupo liderado por Neemias fez. Diante da ameaça de serem atacados enquanto trabalhavam na reconstrução dos muros de Jerusalém, veja o que eles fizeram:

“Mas nós oramos ao nosso Deus e colocamos guardas de dia e de noite para proteger-nos deles.”

(Ne 4:9)
A primeira ação foi colocar suas vidas em oração diante de Deus, mas não pararam por aí. Trataram de tomar providências para que pudessem continuar a empreitada em segurança. Não fizeram isso por não confiarem em Deus, mas sim por acreditarem que Deus estaria ao lado deles, lutando para defender suas vidas, caso fosse necessário. Eles estariam prontos, espada e escudo à mão.
Será que estamos trabalhando para merecer as conquistas que pedimos a Deus em oração?

Pedimos a Deus para tirar boas notas em provas… Estamos estudando o suficiente?
Pedimos para conseguir um trabalho melhor, com melhor salário… Estamos nos preparando profissionalmente para estarmos aptos a concorrer a uma dessas vagas?
Pedimos a Deus muitas bençãos… Estamos fazendo a nossa parte?

“Coragem! Coragem! Ao trabalho, ó povo da terra!”
Em todo trabalho há proveito,
mas ficar só em palavras leva à pobreza.
(Ag 2:4 / Pv 14:23)

283º dia: Ne 1-3

Ao receber notícias de Jerusalém, cujos muros permaneciam em ruínas, Neemias chorou e passou dias lamentando e orando ao Deus dos céus (Ne 1:2-4). Neemias era copeiro do rei (Ne 1:11) e pode ser que por isso ele não tenha podido até então se juntar a uma das caravanas com destino à Jerusalém, mas possivelmente esse era um desejo de seu coração, que se tornou ainda mais forte com a notícia de que as coisas por lá não caminhavam muito bem. Neemias sentiu o desejo de ajudar na obra do SENHOR e orou a Deus com todo o seu coração. A oração transcrita em Neemias 1, versos 4 a 11 é curta, mas completa e profunda. Dela quero destacar dois aspectos:

1- Neemias inicia o seu clamor reconhecendo a grandeza, a soberania e a misericórdia de Deus

Então eu disse: Senhor, Deus dos céus, Deus grande e temível, fiel à aliança e misericordioso com os que o amam e obedecem aos seus mandamentos. (Ne 1:4)

2- Neemias humildemente reconhece suas falhas e confessa seus pecados (e os do povo de Israel)

Confesso os pecados que nós, os israelitas, temos cometido contra ti. Sim, eu e o meu povo temos pecado contra ti. Agimos de forma corrupta e vergonhosa contra ti. Não temos obedecido aos mandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés. (Ne 1:6b, 7)

No primeiro capítulo de Neemias, ele pede a Deus para que o rei da Pérsia fosse benevolente com ele (Ne 1:7). Neemias estava decidido a perseguir seu desejo de retornar a Jerusalém e ajudar na reconstrução dos muros da cidade. Mesmo com muito medo (Ne 2:2b) ele aproveitou a oportunidade que teve e declarou ao rei o seu desejo, mas não o fez sozinho, a bondosa mão de Deus estava sobre ele e o rei atendeu todos os seus pedidos. (Ne 2:4, 8b)

Deus deseja nos acompanhar onde quer que estejamos. Ele está disposto a estar ao nosso lado, não importam as circunstâncias. Podemos desfrutar da sua presença sempre que quisermos. A oração é leve, fácil de carregar, não precisa de pilhas ou energia elétrica para funcionar. Basta desejarmos e Deus estará sempre conosco.