Archive for Oséias

Misericórdia ou sacrifício

Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento. (Mt 9:13)

As palavras acima, ditas por Jesus, são uma citação do Antigo Testamento (veja Os 6:6 e I Sm 15:22) e nos ensinam muitas coisas:

1. Deus prefere um ato de misericórdia demonstrada ao necessitado a qualquer ato de culto religioso. Ambas ações são boas, mas a primeira é bem maior – a misericórdia – e precede qualquer outra.

2. Todo o sistema sacrifical era destinado apenas para apontar para a infinita misericórdia de Deus para com o homem pecador; tratava-se da sombra do viria a ser a verdadeira redenção pelo sangue da nova aliança.

3. Não devemos descansar nos sacrifícios, mas olhar para a misericórdia e salvação prefigurada por eles. Qualquer tipo de sacrifício deve ser feito com coração contrito, em espírito e em verdade, exclusivamente para a honra e glória de Deus.

Somos salvos pela fé e nossas obras, incluídos os sacrifícios, devem ser apenas reflexo de nossa crença.

Mostra-me a tua fé sem as tuas obras,
e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
(Tg 2:18b)

Satisfação, orgulho, esquecimento

Quando eu os alimentava, ficavam satisfeitos; quando ficavam satisfeitos, se orgulhavam, e então me esqueciam (Os 13:6). Isso foi o que Deus declarou a respeito de Israel, por meio do profeta Oséias.

Não desejo ter a mesma afirmação dita a meu respeito, espero que você também pense assim. Mas o orgulho é um fantasma que nos ronda. Desejamos a prosperidade e a pedimos a Deus, mas, quando a recebemos, grande ou pequena, nos esquecemos logo de que é o Senhor que concede todas as coisas. Precisamos evitar o orgulho, mas, caso ele nos ataque, a solução imediata deve ser a mesma recomendada por Oséias: Volte, ó Israel, para o Senhor, para o seu Deus (Os 14:1b). Nunca é tarde para buscar a Deus. Ele está sempre pronto para nos receber, de braços abertos.

Quem é sábio? Aquele que considerar essas coisas. Quem tem discernimento? Aquele que as compreender. Os caminhos do Senhor são justos; os justos andam neles, mas os rebeldes neles tropeçam. (Os 14:9)

Chuva de justiça

Semeiem a retidão para si, colham o fruto da lealdade, e façam sulcos no seu solo não arado; pois é hora de buscar o Senhor, até que ele venha e faça chover justiça sobre vocês. (Os 10:12)

Oséias usa a agricultura como uma bela ilustração para convidar o povo de Israel à adoração. E esse é um convite para todos nós também.

É preciso que nossos corações estejam prontos para a chuva e a colheita, devidamente arados e semeados. E então virá a chuva do Senhor e colheremos bons frutos. Como fazer isso? Semeando a retidão, mantendo-se nos caminhos do Senhor, fazendo o que é bom e justo, com o propósito de louvar e engrandecer o nome de Deus.

Conhecendo o Senhor

Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-lo. Tão certo como nasce o sol, ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno, como as chuvas de primavera que regam a terra. (Os 6:3-4)

Como são felizes os que andam em caminhos irrepreensíveis, que vivem conforme a lei do Senhor! Como são felizes os que obedecem aos seus estatutos e de todo o coração o buscam! O povo que conhece o seu Deus resistirá com firmeza.
(Sl 119:1-2 / Dn 11:32b)

* * *
Como a corça anseia por águas correntes,
a minha alma anseia por ti, ó Deus.
(
Sl 42:1)

288º dia: Mt 1-4

Nasce o Messias! Jesus é anunciado no Novo Testamento aos judeus, que por tanto tempo esperaram por essa grande notícia. Tudo foi tal qual os profetas haviam registrado:

O Messias nasceria de uma virgem
Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.

Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. (Is 7:14 / Mt 1:18, 23)

O Messias nasceria na cidade de Belém
E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.

“E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia…” (Mq 5:2 / Mt 2:1a, 6)

O Messias seria chamado do Egito
“Do Egito chamei a meu filho.”
O anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar.
  (Os 11:1-2 / Mt 2:13, 15)

Crianças seriam mortas
Assim diz o SENHOR: Uma voz se ouviu em Ramá, lamentação, choro amargo; Raquel chora seus filhos; não quer ser consolada quanto a seus filhos, porque já não existem.
Herodes ficou furioso e ordenou que matassem todos os meninos de dois anos para baixo, em Belém e nas proximidades, de acordo com a informação que havia obtido dos magos.
 (Jr 31:15 / Mt 2:16)

Jesus já estava presente desde o começo de tudo. O Velho Testamento está cheio da presença de Cristo.
EMANUEL! Deus está presente. Hoje e sempre! Aleluia!

186º dia: Os 11-14

“Converte-te, ó Israel, ao SENHOR teu Deus; porque pelos teus pecados tens caído.
Tu, pois, converte-te a teu Deus; guarda a benevolência e o juízo, e em teu Deus espera sempre.”
(Os 14:1 / 12:6)

Israel não ouviu os conselhos de Oséias e por seus pecados seria levados ao exílio por um povo opressor e viveriam novamente em escravidão, pois se esqueceram de quem os havia libertado do Egito, o Deus único e verdadeiro.

Mas para nós ainda há tempo de seguir as sábias palavras de Oséias e nos voltarmos para Deus, retribuindo o amor que Ele nos oferece desde meninos, quando nos ensinou a andar (Os 11:1, 3). Que Deus nos ajude a guardar a benevolência e o juízo e a manter afastado de nós o pecado que nos faz cair.

185º dia: Os 8-10

“Eles semeiam vento e colhem tempestade” (Os 8:7a). Essa é umas das descrições que Oséias faz de Israel.

Israel foi devorado, vendeu-se às outras nações, esqueceu-se de seu Criador (Os 8:8a / 10a / 14a). Por isso sofreriam mais uma vez com a escravidão. Tudo isso porque semearam vento e então só puderam colher tempestade.
Meu desejo hoje é semear a boa semente para colher bons frutos, que alimentem minha alma.
Que este seja também o seu desejo, meu querido amigo, e que dessa forma o amor de Deus transborde em nós e alcance muitas outras vidas.
Tenham todos uma linda semana! Fiquem com Deus.

184º dia: Os 5-7

Israel estava tão distante de Deus, que nos momentos de dificuldade procurou a ajuda do Egito, buscou refúgio na Assíria (Os 7:11) e se esqueceu de Deus. Mesmo quando clamava a Deus, não o fazia de coração (Os 7:14). O povo seria levado ao exílio, sofreria as consequências do seu pecado, mas Deus estaria sempre disposto a aceitar de volta aqueles que se arrependessem de coração e se voltassem novamente para os bons caminhos. Acredite, pode parecer que não há mais solução e que a dor e o sofrimento irão consumir a sua vida, mas quando você estiver pronto para se voltar para Deus e buscar a Sua face, saiba que “tão certo como nasce o sol, Ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno, como as chuvas de primavera que regam a terra.” (Os 6:3)

183º dia: Os 1-4

Da mesma forma como a esposa de Oséias foi infiel, o traiu, envergonhou e abandonou, assim também agiu o povo de Israel em relação a Deus.

O texto de hoje retrata o povo de Israel como a esposa adultera, os falsos deuses como seus amantes e Deus como o marido traído e abandonado. É uma boa ilustração para a situação.
Israel abandona sua família para ir atrás dos amantes, que lhe dão comida, água, lã, linho, azeite e bebida. Corre atrás dos seus amantes, mas não os alcança; procura por eles, mas não os encontra. Então declara: ‘Voltarei para o meu marido como no início, pois eu estava bem melhor do que agora’ (Os 2:5,7).
Não há lugar melhor do que ao lado de Deus, o amado esposo que provê à sua família o trigo, o vinho e o azeite; que cobre sua esposa de ouro e de prata, (Os 2:8). Aquele que já perdoou o nosso adultério e que deseja se casar conosco para sempre, com justiça e retidão, com amor e compaixão (Os 2:19).