Tag Archive for aliança

Aperfeiçoados

O Deus da paz, que pelo sangue da aliança eterna
trouxe de volta dentre os mortos a nosso Senhor Jesus,
o grande Pastor das ovelhas,
os aperfeiçoe em todo o bem para fazerem a vontade dEle,
e opere em nós o que lhe é agradável,
mediante Jesus Cristo,
a quem seja a glória para todo o sempre. Amém. 

(Hb 13:20-21)

Restaurando o relacionamento

Deus ama perfeita e completamente. E Seu amor é u a atitude em ação – presenteando, guiando e guardando. Ele é completamente verdadeiro, fiel para com Suas promessas e o seu povo escolhido. Mas constantemente rejeitam o Senhor, quebram a aliança, seguem outros deuses e vivem por si mesmos. Assim seu relacionamento com o Deus amoroso está quebrado, como um vaso caído ao chão.

Mas a ruptura não é irreparável; a esperança não está completamente perdida. O Senhor pode curar, consertar ou fabricar o vaso novamente. O perdão está disponível e é precisamente a graça de Deus.

Esta é a mensagem de Malaquias, o profeta de Deus em Jerusalém. Suas palavras lembravam aos judeus, a nação escolhida do Senhor, de sua desobediência voluntária, a começar pelos sacerdotes (Ml 1:1 a 2:29), e também incluía cada um em particular (Ml 2:10 a 3:15). Eles mostraram desprezo pelo nome de Deus (Ml 1:6), ofereceram sacrifícios profanos (Ml 1:7-14), levaram outros ao pecado (Ml 2:7-9), infringiram as leis do Senhor (Ml 2:11-16), chamaram o mal de “bem” (Ml 2:17), guardaram os dízimos e as ofertas de Deus para si mesmos (Ml 3:8-9) e tornaram-se arrogantes (Ml 3:13-15). O relacionamento foi rompido, então experimentariam o juízo e o castigo.

Em meio a tanta maldade, porém, havia alguns fiéis – o remanescente – aqueles que amavam e honravam a Deus. O Senhor derramaria Suas bênçãos sobre estes homens e mulheres (Ml 3: 16-18).

Malaquias traz um retrato impressionante da deslealdade de Israel, mostrando claramente que o povo era merecedor do castigo. Mas toda esta mensagem está entretecida com a esperança – a possibilidade de perdão. Este fato está graciosamente expresso em Ml 4:2…

Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.

Malaquias conclui seu livro com uma promessa do “profeta Elias”, que oferecerá o perdão de Deus a todas as pessoas através do arrependimento e da fé (Ml 4:5-6).

O livro de Malaquias constitui uma ponte entre o Antigo e o Novo Testamento. Ao lê-lo, considere-se como o destinatário desta mensagem que Deus envia ao seu povo. Avalie a profundidade de seu compromisso, a sinceridade de sua adoração e a direção de sua vida. Então permita que o Senhor restaure seu relacionamento com Ele através de Seu amor e de Seu perdão.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Louvai ao Senhor

Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, e cuja esperança está posta no SENHOR seu Deus. O que fez os céus e a terra, o mar e tudo quanto há neles, e o que guarda a verdade para sempre.

Redenção enviou ao seu povo; ordenou a sua aliança para sempre; santo e tremendo é o seu nome. 

Exaltado está o SENHOR acima de todas as nações, e a sua glória sobre os céus.
Quem é como o SENHOR nosso Deus, que habita nas alturas?
O qual se inclina, para ver o que está nos céus e na terra! 

Piedoso é o SENHOR e justo; o nosso Deus tem misericórdia.

Louvarei ao SENHOR durante a minha vida;
cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu for vivo. 

Louvai ao SENHOR todas as nações, louvai-o todos os povos.
Porque a sua benignidade é grande para conosco,
e a verdade do SENHOR dura para sempre.
Louvai ao SENHOR.

(Sl 146:5-6 / 111:9 / 113:4-6 / 116:5 / 146:2 / 117:1-2)

Aquele a quem eu louvo

Embora os nossos pecados nos acusem, age por amor do teu nome, ó Senhor!
Nossas infidelidades são muitas; temos pecado contra ti.

Senhor, reconhecemos a nossa impiedade e a iniqüidade dos nossos pais;
temos de fato pecado contra ti.

Por amor do teu nome não nos desprezes; não desonres o teu trono glorioso.
Lembra-te da tua aliança conosco e não a quebres. 

(Jr 14:7, 20-21)

Cura-me, Senhor, e serei curado;
salva-me, e serei salvo, pois tu és aquele a quem eu louvo. 
(Jr 17:14)

Benção e maldição

Prestem atenção! Hoje estou pondo diante de vocês a bênção e a maldição.
Vocês terão bênção, se obedecerem aos mandamentos do Senhor, o seu Deus, que hoje lhes estou dando; mas terão maldição, se desobedecerem aos mandamentos do Senhor, o seu Deus, e se afastarem do caminho que hoje lhes ordeno, para seguir deuses desconhecidos. (Dt 11:26-28)

Estas palavras foram ditas ao israelitas enquanto estes se preparavam para tomar posse da terra prometida. Deus havia reservado muitas bençãos para eles, mas desfrutar destas bençãos dependia também de uma ação do povo: obedecer.

É isso que significa uma aliança. Um compromisso entre duas partes, onde cada um precisa cumprir sua palavra para que o compromisso não seja rompido. Deus fez a parte dEle. Lá estava a terra fértil, transbordante de leite e mel… Bastava que os israelitas permanecessem obedientes e poderiam dispôr de tudo isso para sempre.

E a maldição? Não participar da benção já é maldição por si só. Não há meio termo. Não dá pra ficar em cima do muro. Ou caminhamos na direção da benção ou da maldição.

Jesus é o caminho para a benção e nos diz:

Eu lhes asseguro: Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não será condenado, mas já passou da morte para a vida. (Jo 5:24-25)

Tendo como benção a vida eterna, para que desejar maldição? Façamos, então, nossa parte na aliança, crendo em Cristo e obedecendo a Palavra de Deus.

Ouvir e obedecer

Moisés recordou para a nova geração, que estava prestes a entrar na terra prometida, a aliança que Deus havia feito com o povo no monte Horebe, quarenta anos antes.

Naquela ocasião, o Senhor falou a toda a assembléia de Israel, em alta voz, no monte, do meio do fogo, da nuvem e da densa escuridão, mas quando eles ouviram a voz que vinha do meio da escuridão, estando o monte em chamas, temeram. (Dt 5:22-23)

Pediram então para que Moisés permanecesse e ouvisse as instruções de Deus, pois temeram a morte, afinal que homem mortal chegou a ouvir a voz do Deus vivo falando de dentro do fogo e sobreviveu? (Dt 5:24-26)

Aqueles homens fizeram um pedido a Moisés:

Aproxime-se você, Moisés, e ouça tudo o que o Senhor, o nosso Deus, disser; você nos relatará tudo o que o Senhor, o nosso Deus, lhe disser. (Dt 5:27a)

Mas também declararam um compromisso:

Nós ouviremos e obedeceremos. (Dt 5:27b)

Essas palavras agradaram a Deus. Vejam o que disse Moisés:

O Senhor ouviu quando vocês me falaram e me disse: “Ouvi o que este povo lhe disse, e eles têm razão em tudo o que disseram”. (Dt 5:28)

Mas Deus fez uma ressalva:

“Quem dera eles tivessem sempre no coração esta disposição para temer-me e para obedecer a todos os meus mandamentos. Assim tudo iria bem com eles e com seus descendentes para sempre!” (Dt 5:29)

Ah, quem dera nós tivéssemos sempre no coração disposição para temer e obedecer a Deus.

Os israelitas disseram “ouviremos e obedeceremos“. Ouvir é fácil, mas obedecer não. Saber qual o caminho certo é fácil; trilhar esse caminho sem desvios, não é. Falar é fácil; transformar as palavras em ação, não.

Ouvir e obedecer. Esse deve ser o desejo do nosso coração. Sempre.

Cumprindo os 10 mandamentos

Você já pensou em como é difícil cumprir com excelência todos os 10 mandamentos? Pois é, não é fácil. Você pode dizer “eu não mato e nem roubo”, mas será que pode garantir que sua vida está isenta de cobiça e de mentiras, por exemplo? Não é fácil.

Mas Jesus nos trouxe uma nova aliança e fez com que tudo fosse mais fácil, certo? Errado. Jesus reforçou todos os 10 mandamentos, Veja só:

1- Não terás outros deuses além de mim. (Êx 20:3)

Jesus disse: “Adore o Senhor, o seu Deus e só a ele preste culto”. (Mt 4:10)

2- Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra. (Êx 20:3)

Jesus disse: “Nenhum servo pode servir a dois senhores”. (Lc 16:13b)

Mas Jesus não parou por aí. Seguiu dizendo: “pois odiará a um e amará ao outro, ou se dedicará a um e desprezará ao outro. Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”. (Lc 16:13b)

Dinheiro, poder, fama… Tudo isso pode estar tomando o lugar de Deus em sua vida. Será que de fato cumprimos este mandamento?

3- Não tomarás em vão o nome do Senhor teu Deus, pois o Senhor não deixará impune quem tomar o seu nome em vão. (Êx 20:7)

Disse Jesus: “Não jurem de forma alguma: nem pelo céu, porque é o trono de Deus”. (Mt 5:34)

4- Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo. (Êx 20:8)

Jesus disse: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Assim, pois, o Filho do homem é Senhor até mesmo do sábado”. (Mc 2:27)

5- Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor teu Deus te dá. (Êx 20:12)

Jesus disse: “Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim”. (Mt 10:37a)

Jesus não nos isentou de honrar nossos pais, mas reforçou que nem mesmo eles poderiam ser superiores ao próprio Deus. Aqui fica claro que o primeiro e o segundo mandamentos estão presentes em todos os outros.

6- Não matarás. (Êx 20:13)

Jesus disse: “Qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento”. (Mt 5:22a)

Tudo bem, não saímos por aí atirando nas pessoas, mas e quanto a ira, conseguímos controlá-la.

7- Não adulterarás. (Êx 20:14)

Jesus disse: “Qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração.” (Mt 5:28)

8- Não furtarás. (Êx 20:15)

Jesus disse: “Se alguém quiser processá-lo e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa.” (Mt 5:40)

9- Não darás falso testemunho contra o teu próximo. (Êx 20:16)

Jesus disse: “Mas eu lhes digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado.” (Mt 12:36)

10- Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença. (Êx 20:17)

Jesus disse: “Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens”. (Lc 12:15)

E então, será que conseguimos cumprir todos os mandamentos?

Ah, ainda tem mais. Jesus acrescentou mandamentos à lista, veja:

Ao ser questionado a respeito de qual seria o maior mandamento da Lei, Jesus respondeu:

“Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: Ame o seu próximo como a si mesmo”. (Mt 22:36-39)

E então, precisamos cumprir os mandamentos?

Um jovem certa vez perguntou a Jesus: “Mestre, que farei de bom para ter a vida eterna?” E Jesus respondeu: “Se você quer entrar na vida, obedeça aos mandamentos”. (Mt 19:16-17)

Mas somos fracos e pecadores, não vamos conseguir! Essa é a verdade. Mas em sua infinita misericórdia, Deus permitiu que o Espírito Santo habitasse em nós para nos ajudar a vencer nossas fraquezas. Simplesmente cumprir os mandamentos não nos oferece a salvação, que só é alcançada por meio de Cristo, o Cordeiro que nos resgatou. Mas, ter como alvo o cumprimento dessas regras nos ajuda e ter boa conduta, o que nos aproxima dos passos de Jesus, nosso Salvador e exemplo de santidade.

É possível vencer

Quando Deus firmou aliança com Noé e seus filhos, simbolizada pelo arco-íris no céu, entre outras orientações, lhes disse:

“Mas vocês, sejam férteis e multipliquem-se; espalhem-se pela terra e proliferem nela.” (Gn 9:7)

Aproximadamente 150 anos depois, o homem já planejava desobedecer a Deus:

“Depois disseram: Vamos construir uma cidade, com uma torre que alcance os céus. Assim nosso nome será famoso e não seremos espalhados pela face da terra”. Gn 11:4

Mostrando sua soberania, Deus confundiu as línguas dos que ali estavam, forçando-os a se separarem e frustrando os planos daqueles homens, que pararam a construção da cidade, que ficou conhecida como Babel.

Em apenas 150 anos, a maldade no coração do homem já havia se manifestado a este ponto! Tudo bem que o fato do tempo ser pouco ou muito não aumenta e nem diminui as chances do pecado dominar nossa vida, mas é curioso pensar, por exemplo, que Noé ainda estava vivo nesta época e que, possivelmente todos os integrantes deste grupo que tentou ‘chegar ao céu’ construindo uma torre conheciam bem a história de seu patriarca.

Noé era um ancestral em comum de todos os homens daquele tempo. Se os seus filhos, netos, bisnetos, tataranetos, etc o tivessem tido como exemplo, talvez o episódio de Babel não estivesse registrado na bíblia. E Noé era um homem digno de ser imitado, afinal, tinha sido escolhido por Deus o único homem digno para sobreviver ao dilúvio.

Depois que Adão e Eva pecaram, não existe um homem sequer neste mundo que não traga dentro de si o pecado, nem mesmo Noé. Mas há aqueles que lutam diariamente contra este mal – e vencem. Você pode não conhecer alguém assim pessoalmente, mas lendo a bíblia conhecerá muitos. Tenha-os como o exemplo de que é possível vencer e seja também um vencedor.

347º dia: Hb 8-10

Temos um sumo sacerdote que está assentado nos céus à destra do trono da majestade, ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo, fundado pelo SENHOR, e não por mãos humanas (Hb 8:1).

Jesus é o sumo sacerdote que ofereceu por nós o sacrifício perfeito e por meio dEle se fez a nova aliança. “Porque esta é a aliança que depois daqueles dias Farei com a casa de Israel, diz o Senhor; Porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; e eu lhes serei por Deus e eles me serão por povo.” (Hb 8:10)

Sob a nova aliança de Deus, a Sua lei passa a estar dentro de nós. Não é mais um conjunto exterior de regras e princípios. O Espírito Santo nos lembra das palavras de Cristo, ativa a nossa consciência, influencia os nossos motivos e desejos, e nos faz querer obedecer. Agora, fazer a vontade de Deus é algo que desejamos com todo o nosso coração e mente.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal

Na nova aliança, pelo sacrifício de Jesus Cristo, nossos pecados não são apenas perdoados, mas são completamente esquecidos (Hb 8:13). Quanta misericórdia! E obedecer é o único requisito para desfrutar desta graça.

226º dia: Jr 30-32

Assim diz o Senhor: “Seu ferimento é grave, sua ferida, incurável. Por que você grita por causa do seu ferimento, por sua ferida incurável? Fiz essas coisas a você porque é grande a sua iniqüidade e numerosos são os seus pecados.” (Jr 30:12, 15)

O sofrimento de Judá diante do terror da invasão de suas terras, que levaria parte do povo ao exílio, era consequência dos seus próprios atos. O SENHOR amou Israel com amor eterno mas recebeu de volta a rejeição do povo, que virou as costas para Ele, e não o rosto. (Jr 31:3 / 32:33)

“Eis que dias vêm”, diz o SENHOR, “em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá. Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Naquele tempo”, diz o Senhor, “serei o Deus de todas as famílias de Israel, e eles serão o meu povo.” (Jr 31:31, 33b / 31:1)

Jesus nos convida hoje para sermos parte nesta nova aliança, dando graças ao Pai, que nos tornou dignos de participar da herança dos santos no reino da luz. (Cl 1:12)