Tag Archive for amargura

Vida vazia e sem sentido

Contudo, quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu tanto me esforçara para realizar, percebi que tudo foi inútil, foi correr atrás do vento; não há qualquer proveito no que se faz debaixo do sol. 
(Ec 2:11)

No final de seus dias, Salomão lembrou de suas atitudes com humildade e arrependimento. Ele fez um balanço de sua vida a fim de poupar os seus leitores da amargura de aprender, pela própria experiência, que longe de Deus tudo é vazio, oco e sem sentido.        Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Nem mesmo toda a riqueza e sabedoria de Salomão foram capazes de preencher o vazio em sua vida. Todos nós temos este mesmo vazio. É o espaço reservado para Deus em nossos corações, que só pode ser preenchido por Ele, o Soberano SENHOR.

Longe de Deus tudo é vazio, oco e sem sentido.

Só a presença de Deus em nossas vidas é capaz de nos trazer plenitude e felicidade verdadeira. Enquanto procurarmos a satisfação em nossos próprios esforços, estaremos desperdiçando energia em uma busca sem fim.

Lamentar não resolve

Há mais de um ano Davi estava abrigado na cidade filistéia de Ziclaque. Mas agora o rei Aquis queria Davi e seus soldados reunidos à sua tropa, na guerra contra Saul. Davi não poderia ter rejeitado o pedido do rei Aquis, pois isso despertaria a ira do rei e colocaria em risco a vida de todos aqueles que o acompanhavam. Mas Deus deu a Davi o livramento; ele não precisou lutar contra o seu próprio povo, já que os líderes filisteus não se sentiram confortáveis com sua presença. (1 Sm 28:1-5)

Certamente aliviado, Davi retornou à Ziclague, mas encontrou a cidade destruída. Os amalequitas incendiaram a cidade e levaram as mulheres e crianças como prisioneiros. (1 Sm 30:1-5)

A angústia invadia os habitantes de Ziclaque e estes, lamentando sua perda, quiseram apedrejar Davi, culpando-o pelo acontecido. Davi também estava amargurado, mas fortaleceu-se no SENHOR e agiu para contornar a situação, que resultou na recuperação de todos os bens saqueados pelos amalequitas, incluindo o resgate das esposas e crianças – tudo foi recuperado por Davi e devolvido aos habitantes de Ziclague. (1 Sm 30:1:19)

Lamentar, chorar e procurar um culpado para uma situação ruim é muito fácil. Mas buscar forças para enfrentar as dificuldades não é. Não somos fortes o suficiente, mas Deus é fonte inesgotável de força. Como Davi, devemos buscar no SENHOR a força para enfrentar as adversidades – Ele nos dará a vitória.

320º dia: Tg 3-5

Já falamos aqui no blog sobre problemas com a língua (veja aqui e aqui). Mas o tema é tão importante que permite a repetição.

Tiago afirma que aquele que não tropeça em palavra é perfeito e tem poder para refrear todo o corpo. Acontece que todos tropeçamos e nenhum homem pode domar sua língua. Sendo possuidores de uma língua incontrolável, cheia de veneno, com a qual bendizemos a Deus e Pai e, ao mesmo tempo, amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus, como poderemos controlar o restante do nosso corpo? (Tg 3:2, 8-9)

Mesmo quando temos o coração cheio de amargura, inveja e ambição, nossa língua não se perturba em anunciar o inverso. Conhece a expressão ‘viver de aparências’? Pois é justamente contra isso a palavra de Tiago. Não somos perfeitos e não há porque mentir contra a verdade (Tg 3:14). Reconhecer nossas falhas e fraquezas é o primeiro passo para começarmos a exercitar o controle de nossas línguas e, consequentemente, de nossas vidas. Mas isso só será possível se deixarmos de lado a sabedoria terrena, que nos incita a enganar e mentir (aos outros e a nós mesmos) e buscarmos a sabedoria que vem de Deus, que é pura, pacífica, amável, compreensiva, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sincera (Tg 3:17).

85º dia: 1 Sm 1-3

Ontem falamos de Rute. Hoje conhecemos Ana, a mãe de Samuel. Uma mulher amargurada, que se lamentava por não ter filhos (1 Sm 1:2,8). Mas, um belo dia, essa mulher entregou seu coração a Deus em oração (1 Sm 1:10) e ao final deste momento de comunhão de Ana com Deus seu rosto já não estava mais abatido (1 Sm 1:18). Nesse momento Ana ainda não sabia que seria abençoada não apenas com um, mas com seis filhos! Ainda assim, o simples ato de desabafar sua amargura com sinceridade diante de Deus, já lhe fez sentir melhor. Deus pode ou não atender nossos pedidos, mas independente disso, nos oferece consolo.

23º dia: Jó 25 a 27

A resposta de Jó a Bildade, no Cap 26, começa com certa ironia. De fato, Jó não suportava mais ouvir o que diziam seus amigos, mas no fundo de sua amargura havia lugar para sua fé. Jó acreditava que Deus o estava fazendo sofrer e ainda assim demonstrou fé sem tamanho com suas palavras, nos versículos que eu mais gosto do texto de hoje:

Vive Deus, que desviou a minha causa, e o Todo-Poderoso, que amargurou a minha alma. Que, enquanto em mim houver alento, e o sopro de Deus nas minhas narinas, não falarão os meus lábios iniqüidade, nem a minha língua pronunciará engano. (Jó 26:2-4)