Tag Archive for amor

Disputas e contendas

Algum tempo depois, Paulo disse a Barnabé: “Voltemos para visitar os irmãos em todas as cidades onde pregamos a palavra do Senhor, para ver como estão indo”.
Barnabé queria levar João, também chamado Marcos.
Mas Paulo não achava prudente levá-lo, pois ele, abandonando-os na Panfília, não permanecera com eles no trabalho.
Tiveram um desentendimento tão sério que se separaram. Barnabé, levando consigo Marcos, navegou para Chipre, mas Paulo escolheu Silas e partiu, encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. 
(At 15:36-40)

Neste trecho da Palavra de Deus, temos o relato de uma briga entre dois ministros, nada menos do que Paulo e Barnabé, simplesmente porque Barnabé desejava que seu sobrinho João Marcos viajasse com eles. Entretanto Paulo não achava que João Marcos fosse digno desta honra, nem que ele estaria apto para o serviço, já que durante a viagem anterior os havia abandonado sem avisar ou pedir consentimento (At 13:13). Como sabemos, este desentendimento foi resolvido e com ele se cumpriu o propósito de Deus, já que separados, puderam disseminar o evangelho a um número maior de pessoas.

Mas interessante é perceber que mesmo o melhor dos homens é apenas homem e está, portanto, sujeito às mesmas paixões que nós. Talvez tenha havido falhas de ambos os lados, como é comum em tais situações – Apenas Cristo é homem digno de servir de exemplo, imaculado. Então, não devemos estranhar se houver diferenças entre homens sábios e bons, assim como aconteceu com Paulo e Barnabé. Afinal, vai ser assim enquanto estivermos neste estado mortal imperfeito – nunca seremos todos uma só mente até chegarmos ao céu.

Precisamos entender que o mal, o orgulho e a paixão, que são encontrados até mesmo em homens de bem, fazem o mundo – e fazem a igreja!

Muitos dos que habitavam em Antioquia e que tinham ouvido falar pelo menos um pouco da devoção e da piedade de Paulo e Barnabé, agora ouviam sobre o seu litígio e separação. Assim também acontecerá conosco se dermos lugar à disputa e deixaremos de alcançar almas para Cristo enquanto alimentamos a discussão.

Em suas epístolas, escritas após este evento, Paulo fala com estima e afeto tanto de Barnabé como de Marcos.

Que todos os que confessam o Teu nome, ó piedoso Salvador, sejam completamente reconciliados por esse amor derivado de Ti, que não se irrita facilmente e que logo se esquece das feridas, enterrando-as.

Traduzido e adaptado de Bible Gateway (comentários de Matthew Henry – Atos 15)

Deus não se esconde

Havia em Cesaréia um homem chamado Cornélio, centurião do regimento conhecido como Italiano. Ele e toda a sua família eram piedosos e tementes a Deus; dava muitas esmolas ao povo e orava continuamente a Deus. 
(At 10:1-2)

O que acontecerá ao pagão que nunca ouviu falar a respeito de Cristo? Esta pergunta frequentemente remete à justiça de Deus. Cornélio não era um crente em Cristo, mas buscava a Deus e era reverente e generoso. Sendo assim, Deus enviou Pedro para que falasse com ele sobre Cristo. Isto mostra que Deus é galardoador dos que o buscam. Aqueles que buscam sinceramente a Deus, conseguirão encontrá-lo!

Deus enviou o seu Filho, porque ama o mundo inteiro. Ele não faz uso do favoritismo, nem se esconde daqueles que querem encontrá-lo.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

 Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que Ele existe e que recompensa aqueles que o buscam

(Hb 11:6)

Em qualquer circunstância

A ressurreição de Jesus encheu os apóstolos de esperança. Cheios do Espírito Santo, pregavam as boas-novas do evangelho por onde iam, anunciavam e exaltavam o nome de Jesus Cristo.

Por este motivo, foram presos. Os líderes religiosos de Israel não podiam suportar o fato de que Jesus ainda estava presente, ainda que morto, e menos ainda a quantidade crescente de seguidores que os apóstolos reuniam dia após dia.

Para não causar um tumulto ainda maior, decidiram libertar os presos.

Chamaram os apóstolos e mandaram açoitá-los. Depois, ordenaram-lhes que não falassem em nome de Jesus e os deixaram sair em liberdade.
Os apóstolos saíram do Sinédrio, alegres por terem sido considerados dignos de serem humilhados por causa do Nome.
Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo.
(At 5:40-42)

Depois de açoitados, os apóstolos estavam doloridos, sujos, ensanguentados e… Felizes! Mesmo cientes de que poderiam passar por toda essa situação novamente – prisão, humilhação, açoite – não deixaram de proclamar que Jesus é o Cristo.

Não importam as circunstâncias…

Seremos felizes se nossas vidas estiverem cheias do amor e misericórdia de Deus.

Não importam as circunstâncias…

Devemos anunciar em todos os lugares as boas novas de Cristo.

Como servir

O evangelho de João, Capítulo 13, nos conta que, à ocasião da última ceia, antes de Jesus e os doze discípulos começarem a comer, quando já estavam reclinados à mesa, Jesus “levantou-se da mesa, tirou sua capa e colocou uma toalha em volta da
cintura. Depois disso, derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos seus discípulos, enxugando-os com a toalha que estava em sua cintura” (Jo 13:4-5). Todos ficaram muito surpresos com essa atitude do Mestre!

Ao lavar os pés dos seus discípulos, Jesus os estava ensinando a servir, a agirem como servos. Dessa atitude, então, podemos extrair sete lições de Jesus quanto ao servir. São elas:

1. Servo é aquele que faz o que outros não querem fazer

Na Palestina do primeiro século, as ruas e estradas eram poeirentas e as pessoas andavam descalças ou com sandálias. Por causa disso, ao chegarem às suas casas, seus pés estavam sujos. Assim, algumas residências tinham um escravo designado exclusivamente para lavar os pés das pessoas que ali fossem entrar. Por ser considerado um serviço dos mais “baixos” e humildes, esse escravo era tido como o menor dentre os demais.

Ao chegarem ao local onde seria realizada a última ceia, Jesus e os seus discípulos estavam com os pés sujos. Eles haviam caminhado pelas vias poeirentas para chegarem até ali. Entretanto, naquele local não havia um escravo para lhes lavar os pés. Isso, certamente, estava gerando um grande desconforto, pois eles estavam reclinados à mesa, assentados sobre almofadas e com os pés sujos próximos das pessoas e da mesa. Apesar disso, entretanto, ao que parece, ninguém se dispôs a fazer o serviço de lavar os pés. Então Jesus, percebendo que nenhum deles se prontificava a isso, se levantou e o fez. Ele fez o que os outros não queriam fazer.

2. Servo é aquele que está atento às necessidades

Ao se levantar da mesa com a intenção de lavar os pés sujos dos presentes, Jesus se mostrou atento às necessidades daquele momento. Não seria agradável e correto eles participarem de uma refeição tão importante como aquela com os pés sujos a incomodar a todos. Eles precisavam ser lavados.

3. Servo é aquele que tem o servir como prioridade

Ao perceber a necessidade dos pés sujos serem lavados e que ninguém se dispunha a fazê-lo, Jesus não deixou isso para depois, mas, prontamente se levantou. Sanar aquele problema era uma prioridade que não podia ser adiada.

4. Servo é aquele que não se importa em se humilhar

Por que nenhum dos discípulos se prontificou a lavar aqueles pés sujos? Porque aquele era o serviço do menor dos escravos e nenhum deles estava disposto a passar por isso. Jesus, entretanto, não se importou em se humilhar e servir cada um deles, como se fosse o menor. Ele se levantou e o fez porque o servir era mais importante que a reputação.

5. Servo é aquele que não se preocupa em ser o maior

Durante a ceia, Jesus disse: “O maior entre vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa, como o que serve. Pois quem é maior: o que está à mesa, ou
o que serve? Não é o que está à mesa? Mas eu estou entre vocês como quem serve” (Lc 22:26-27). Ao lavar os pés dos discípulos, Jesus, apesar de ser o Mestre e o Senhor, não se preocupando em ser o maior, tomou para si o lugar do menor.

6. Servo é aquele que tem consciência de quem é, por isso serve

Por que Jesus não se importou em se humilhar e não se preocupou em ser o maior? Porque ele tinha consciência de quem era. Ele sabia que era o Filho de Deus. Sua alma não estava marcada por complexos e rejeições que o fizessem se sentir inferior e humilhado ao fazer aquilo. João 13:3 diz: “Jesus sabia que o Pai o havia colocado todas as coisas debaixo do poder, e que viera de Deus e estava voltando para Deus”. Aquele que não tem para si, claramente, a sua identidade, não consegue servir.

7. Servo é aquele que age com altruísmo

Por fim, servo é que olha mais para a necessidade dos outros do que as próprias. Os pés de Jesus também estavam sujos. Mas ele preferiu se levantar e lavar os pés sujos dos seus discípulos. À semelhança do bom samaritano da parábola, Ele não agiu com egoísmo, mas, sim, com altruísmo, verdadeiramente amando o seu próximo (Lc 10:25-37).
Ao lavar os pés dos seus discípulos Jesus lhes ensinou o que é ser um servo. Após isso, Ele lhes disse: “Vocês me chamam ‘Mestre’ e ‘Senhor’, e com razão, pois eu o sou. Pois bem, se eu, sendo Senhor e Mestre de vocês, lavei-lhes os pés, vocês também devem lavar os pés uns dos outros. Eu lhes dei o exemplo, para que vocês façam como lhes fiz. Digo-lhes verdadeiramente que nenhum escravo é maior do que o seu senhor, como também nenhum mensageiro é maior do que aquele que o enviou. Agora que vocês sabem estas coisas, felizes serão se as praticarem” (Jo 13:13-17).

Depois de lavar os pés dos discípulos, Jesus os desafiou a fazerem o mesmo. Ele lhes havia dado um exemplo a ser seguido. Se Ele, sendo Senhor e Mestre, havia lhes lavados os pés, por que eles não fariam o mesmo? Por acaso era maiores do que Ele? Claro que não! Eles deveriam agir como servos.

* * * * * * * *

Jesus é o melhor exemplo de como servir a Deus e Ele espera que os seus discípulos de ontem e de hoje:

• Façam o que outros não querem fazer
• Estejam atentos às necessidades
• Tenham o servir como prioridade
• Não se importem em se humilhar
• Não se preocupem em serem os maiores
• Tenham consciência de quem são e sirvam
• Ajam com altruísmo

O que falta para que você se enquadre neste perfil?

Adaptado do website da Igreja Batista Central de Belo Horizonte
          Série de lições “A vida de Jesus – Lição 8: Última ceia.

Ovelhas e bodes

E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele,
então se assentará no trono da sua glória;
E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros,
como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;
E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.

Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita:
Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.

Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda:
Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; 

E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna

(Mateus 25:31-34, 41, 46)

 

Sejamos ovelhas do nosso Bom Pastor.

Como?

Amando a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos (Mt 22:37-39). Amar não apenas com palavras, mas com ações, pois quando alimentamos os que têm fome, oferecemos água aos que têm sede, acolhemos os estrangeiros, vestimos os necessitados e cuidamos dos enfermos, é como se o fizéssemos à Jesus (Mt 25:35-40) e Ele nos bendirá e nos oferecerá como herança o Reino que foi preparado desde a criação do mundo (Mt 25:34).

Serpentes e pombas

O texto bíblico de Mateus 10:16, diz: “Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas”. A versão na Linguagem de hoje diz: “Sejam espertos como as cobras e sem maldade como as pombas”

Após ter dado várias instruções específicas aos seus discípulos, neste verso Jesus nos ilustra qual deve ser nossa atitude cristã em relação ao mundo. Como as serpentes, que são astutas, espertas, devemos estar sempre alerta para aproveitar todas as oportunidades possíveis para a pregação do evangelho.

No entanto, é importante que o cristão se submeta a Deus e busque a mansidão, a amabilidade, a cortesia, que são características louváveis. Ser prudente ou astuto como a serpente é ser cauteloso, sensato. É estar sempre atento a tudo que se passa.

Ser manso como a pomba é seguir o conselho de Cristo, que diz “aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração…” (Mateus 11:29).

Nosso mundo atual está cheio de maldade, violência. Sejamos luz, onde a escuridão reina, e assim vamos conseguir demonstrar o verdadeiro amor de Cristo em nossa vida.

Fonte: Web Site da Rádio Novo Tempo – Como entender Mateus 10:16?

O poder da palavra

Uma árvore boa dá bom fruto; uma árvore ruim, dá fruto ruim, pois uma árvore é conhecida por seu fruto.
Como podem vocês, que são maus, dizer coisas boas? Pois a boca fala do que está cheio o coração.
Por suas palavras você será absolvido, e por suas palavras será condenado.
(Mateus 12:33, 34b, 37)

O que sai de nossas bocas é muito importante. Tanto que já falamos algumas vezes sobre isso aqui no blog.

Procurar controlar a própria língua é um bom exercício para avaliar os nossos corações e essa busca por dar bons frutos nos aproxima de Deus.

Conheço as suas obras, o seu amor, a sua fé, o seu serviço e a sua perseverança, e sei que você está fazendo mais agora do que no princípio.
(Ap 2:19)

Problemas de língua são muito comuns, mas não podemos nos deixar dominar por ela. Os ramos que produzem maus frutos devem ser cortados fora para que os bons frutos possam crescer saudáveis.

Por suas palavras você será absolvido, e por suas palavras será condenado.

De uma mesma boca poder vir salvação e destruição. Para qual destes caminhos a sua língua o está guiando?

Restaurando o relacionamento

Deus ama perfeita e completamente. E Seu amor é u a atitude em ação – presenteando, guiando e guardando. Ele é completamente verdadeiro, fiel para com Suas promessas e o seu povo escolhido. Mas constantemente rejeitam o Senhor, quebram a aliança, seguem outros deuses e vivem por si mesmos. Assim seu relacionamento com o Deus amoroso está quebrado, como um vaso caído ao chão.

Mas a ruptura não é irreparável; a esperança não está completamente perdida. O Senhor pode curar, consertar ou fabricar o vaso novamente. O perdão está disponível e é precisamente a graça de Deus.

Esta é a mensagem de Malaquias, o profeta de Deus em Jerusalém. Suas palavras lembravam aos judeus, a nação escolhida do Senhor, de sua desobediência voluntária, a começar pelos sacerdotes (Ml 1:1 a 2:29), e também incluía cada um em particular (Ml 2:10 a 3:15). Eles mostraram desprezo pelo nome de Deus (Ml 1:6), ofereceram sacrifícios profanos (Ml 1:7-14), levaram outros ao pecado (Ml 2:7-9), infringiram as leis do Senhor (Ml 2:11-16), chamaram o mal de “bem” (Ml 2:17), guardaram os dízimos e as ofertas de Deus para si mesmos (Ml 3:8-9) e tornaram-se arrogantes (Ml 3:13-15). O relacionamento foi rompido, então experimentariam o juízo e o castigo.

Em meio a tanta maldade, porém, havia alguns fiéis – o remanescente – aqueles que amavam e honravam a Deus. O Senhor derramaria Suas bênçãos sobre estes homens e mulheres (Ml 3: 16-18).

Malaquias traz um retrato impressionante da deslealdade de Israel, mostrando claramente que o povo era merecedor do castigo. Mas toda esta mensagem está entretecida com a esperança – a possibilidade de perdão. Este fato está graciosamente expresso em Ml 4:2…

Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.

Malaquias conclui seu livro com uma promessa do “profeta Elias”, que oferecerá o perdão de Deus a todas as pessoas através do arrependimento e da fé (Ml 4:5-6).

O livro de Malaquias constitui uma ponte entre o Antigo e o Novo Testamento. Ao lê-lo, considere-se como o destinatário desta mensagem que Deus envia ao seu povo. Avalie a profundidade de seu compromisso, a sinceridade de sua adoração e a direção de sua vida. Então permita que o Senhor restaure seu relacionamento com Ele através de Seu amor e de Seu perdão.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Fôlego para louvar

Aleluia! Aleluia!

Como é bom cantar louvores ao nosso Deus!
Como é agradável e próprio louvá-lo!
Só ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas.
O Senhor se agrada dos que o temem, dos que colocam a esperança no seu amor leal.

Grande é o nosso Soberano e tremendo é o seu poder.

Aleluia! Louvem o Senhor desde os céus, louvem-no nas alturas!
Louvem todos o nome do Senhor, pois somente o seu nome é exaltado;
a sua majestade está acima da terra e dos céus.

Louvem-no pelos seus feitos poderosos, louvem-no segundo a imensidão de sua grandeza!

Tudo o que tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR.

(Salmos 147:1, 3, 11, 5a / 148:1, 13 / 150:2, 6)

Pura vaidade

Aquele que fez o ouvido não ouvirá?
E o que formou o olho, não verá?

O SENHOR conhece os pensamentos do homem, que são vaidade
Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação, pela glória do teu nome;
e livra-nos, e perdoa os nossos pecados por amor do teu nome

Salmos 94:9,11 / 79:9