Tag Archive for comunhão

Sacrifício perfeito

Primeiro ele [Jesus] disse [a Deus]:
“Sacrifícios, ofertas, holocaustos e ofertas pelo pecado não quiseste, nem deles te agradaste” (os quais eram feitos conforme a Lei).

Então acrescentou:
“Aqui estou; vim para fazer a Tua vontade”.

Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do sacrifício do corpo de Jesus Cristo, oferecido uma vez por todas.

(Hb 10:8-10)

O sacrifício de Cristo foi o cumprimento final de tudo o que os sacrifícios de tudo o que os sacrifícios do Antigo Testamento representavam – o perdão de Deus para o pecado.

Por Cristo ser o sacrifício perfeito pelos nossos pecados, estes estão e estarão completamente perdoados – no presente, no passado e no futuro.

Cristo removeu o pecado que nos impedia de ter comunhão e aceitar o seu sacrifício por nós. Crendo nEle, não somos mais culpados, mas limpos e aperfeiçoados. Seu sacrifício desobstrui o caminho para que tenhamos a vida eterna.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Seguros e protegidos

Esdras reuniu muitos levitas para acompanhá-lo na jornada de volta à Jerusalém (Ed 8:20), entretanto, para protegê-los durante a viagem não bastava a presença dos sacerdotes. Por isso o grupo todo jejuou e orou a Deus, pedindo segurança ao único que poderia protegê-los.

Aqueles que buscam a Deus estão a salvo sob a sombra de suas asas, mesmo nas maiores dificuldades. Se estivermos em paz e comunhão com Deus, podemos deixar todas as nossas preocupações sobre nós mesmos, nossas famílias e nossas posses sob os cuidados dEle. O pedido de Esdras foi atendido. Os exilados retornaram em segurança para sua terra natal, ainda que sem a proteção de armas ou soldados e mesmo havendo muitos inimigos pelo caminho que desejavam detê-los. Nunca qualquer que buscou a Deus ardentemente descobriu que procurava em vão.

Em tempos de dificuldade e perigo, separar um momento para oração, individual ou coletiva, é a melhor decisão que podemos tomar. Entregue sua vida ao Senhor e suas necessidades serão supridas. Lembre-se: O sofrimento não nos faz perdedores.
Somos vencedores, pela graça do Senhor, e não há nada que possa mudar isso.

Adaptado de Christ Notes – Bible commentary

* * * * * * * *

Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?
Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro.
Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores,
por aquele que nos amou.

Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. 
(Rm 8:35-39)

337º dia: Rm 12-16

Depois de reforçar aspectos doutrinários, Paulo, no capítulo 12 da carta aos romanos, enfatiza os aspectos práticos do evangelho, pois devemos ser praticantes da Palavra, e não apenas ouvintes (Tg 1:22). Assuntos importantes são tratados neste trecho da Palavra de Deus:

Culto e adoração ao SENHOR. O que Deus espera de nós? Que ofereçamos nossos corpos como sacrifício vivo, santo, agradável a Deus,  nos envolvendo do Senhor Jesus Cristo e deixando de lado premeditações para satisfazer os desejos da carne. Portanto, não deixemos que o mundo nos domine, mas que Deus nos transforme e nos dê um novo entendimento, para podermos discernir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que lhe é agradável, o que é perfeito. (Rm 12:1, 2 / 13:11-14)

Comunhão entre irmãosOs muitos que somos formamos um só corpo em Cristo, mas, individualmente, somos membros que pertencem uns aos outros. A cada membro é reservada uma função diferente. Que Deus afaste de nós a inveja e a maledicência e que estejamos dispostos a conviver harmoniosamente com nossos irmãos em Cristo, respeitando as nossas diferenças e apoiando uns aos outros. (Rm 12:3-8 / 14:1-23)

O amor é o maior mandamentoNão se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem. Quem planta o amor, colhe amor. Quem está cheio de amor fica imune à ira, à impaciência, ao orgulho. Quem ama semeia no mundo perseverança, paz, harmonia. De Deus é a vingança, e Ele a exercerá com justiça. A nós está reservado o amor. Não apenas o amor aos amigos, mas também aos inimigos. Nosso amor mostra ao mundo a presença de Deus em nossas vidas. (Rm 12:9-21 / 13:8-10)

Cristãos devem ser bons cidadãos. Somos cristãos, mas não vivemos à parte da sociedade. Na igreja ou fora dela devemos ser exemplo de bons cidadãos. O que um não crente pensaria ao ver um cristão usar palavras pejorativas ao se referir ao líder político de sua cidade?

Se você deseja, como cristão, fazer diferença em sua sociedade, use os meios que ela própria lhe dá,  participando ativamente de eleições (como candidato ou eleitor), acompanhando as ações dos líderes da sua comunidade, etc. Jesus poderia ter dito _”Ignorem esse César, rendei a Deus seus tributos”, mas em vez disso ele disse “Dêem a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mts 22:21). Portantodêem a cada um o que lhe é devido: Se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra (Rm 13:1-7).

259º dia: Ez 19-21

Por inúmeras vezes Israel se desviou completamente dos caminhos de Deus e despertou a ira do SENHOR. Mas também por inúmeras vezes este povo foi tratado com amor e misericórdia e teve a oportunidade de se arrepender e de voltar a viver em comunhão com Deus. Se dependesse de seus próprios atos, Israel não teria sobrevivido ao deserto, na fuga do Egito. Esse povo teimoso e rebelde rapidamente se esquecia de toda a benevolência que Deus lhes concedia diariamente e ao longo de gerações e passava a praticar atos repugnantes diante do SENHOR, adorando deuses feitos por mãos humanas, sacrificando seus filhos diante de altares pagãos, etc, etc.

Precisamos nos esforçar para buscar uma vida reta e justa. Ainda assim, não atingiremos a perfeição, pois o pecado vive dentro de nós. Mas poderemos contar com o amor do SENHOR, que não nos julgará de acordo com nossas atitudes erradas e nos concederá libertação.

Vocês saberão que eu sou o Senhor, quando eu tratar com vocês por amor do meu nome e não de acordo com os seus caminhos maus e suas práticas perversas. (Ez 20:44)

85º dia: 1 Sm 1-3

Ontem falamos de Rute. Hoje conhecemos Ana, a mãe de Samuel. Uma mulher amargurada, que se lamentava por não ter filhos (1 Sm 1:2,8). Mas, um belo dia, essa mulher entregou seu coração a Deus em oração (1 Sm 1:10) e ao final deste momento de comunhão de Ana com Deus seu rosto já não estava mais abatido (1 Sm 1:18). Nesse momento Ana ainda não sabia que seria abençoada não apenas com um, mas com seis filhos! Ainda assim, o simples ato de desabafar sua amargura com sinceridade diante de Deus, já lhe fez sentir melhor. Deus pode ou não atender nossos pedidos, mas independente disso, nos oferece consolo.

42º dia: Lv 8 a 10

Arão e seus filhos foram escolhidos por Deus para sacerdotes, mas isso não significava que eles eram santos e que estariam isentos do pecado. Por isso, deveria haver um longo ritual de consagração de suas vidas à Deus, antes de que estivessem aptos a oferecer sacrifícios pelo povo. Da mesma forma hoje Deus escolhe pastores, ensinadores da bíblia, líderes nas igrejas, etc… mas todos estão sujeitos ao pecado e devem manter-se, como todos nós, em comunhão com Deus, para poderem realizar a obra que lhes foi concedida da melhor forma possível. Devemos orar por nossos líderes e ajudá-los e permanecerem firmes na fé.

33º dia: Êx 18 a 20

Ao pé do Monte Sinai todo o povo de Israel pôde ver a glória de Deus manifestada estrondosa e maravilhosamente diante deles. Deus não precisava ter feito dessa forma, mas certamente Ele sabia que, se não se mostrasse explicitamente, os israelitas teimariam em cumprir as leis que viriam. Depois de anos vivendo junto aos egípcios, certamente eles já estavam acostumados a ver (e talvez até praticar) certos costumes, como o de adorar diversos deuses, por exemplo. Talvez por isso a lei neste momento tenha sido tão necessária. Os dez mandamentos eram orientações claras para que o povo de Deus vivesse (ou voltasse a viver) em santidade e comunhão com Ele.

Hoje, somos salvos pela graça de Deus, em Jesus Cristo. Mas também temos orientações a seguir, dadas pelo próprio Jesus e registradas no Novo Testamento. Instruções estas que, inclusive, reafirmam ou incrementam os dez mandamentos e embora não seja do texto que lemos hoje, deixo abaixo um techo do NT para reflexão.

Um fariseu, perito na lei, pôs Jesus à prova com esta pergunta:
“Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?”
Respondeu Jesus:
Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: Ame o seu próximo como a si mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas” (Mt 22:35-40)