Tag Archive for crueldade

No fundo do poço

Ebede-Meleque é o personagem de hoje. Um etíope, servo do palácio real em Jerusalém, é o herói do Capítulo 38 de Jeremias.

Os príncipes de Israel colocaram o rei Zedequias em uma situação difícil. Eles desejavam morte a Jeremias e foram juntos convencer o rei de que o profeta desejava o mau a Israel. Zedequias provavelmente não concordava com a afirmação, ou pelo menos não estava certo a respeito. Entretanto, embora fosse o rei, opor-se aos príncipes poderia custar-lhe o reinado, ou até mesmo a vida. Acabou, então, por permitir que os príncipes fizessem o que desejassem com Jeremias.

Os príncipes foram cruéis. Jogaram Jeremias em um poço de lama, para definhar até a morte. Possivelmente, procuraram não fazer muito alarde sobre o que acabavam de fazer, e é aqui que o herói entra na história.

Ebede-Meleque soube o que acabava de acontecer, talvez por ter ouvido os gemidos de Jeremias vindos do fundo do poço. E este etíope, um estranho para a comunidade de Israel, demonstrou mais humanidade do que os israelitas nativos. Ebede-Meleque vivia em uma corte iníqua e em meio a uma geração muito corrupta; ainda assim tinha um grande senso de equidade e piedade. Não pensou duas vezes antes de interceder por Jeremias. Foi até o rei, que estava sentado na porta de Benjamim, para julgar causas e receber apelos e petições, ou talvez dirigindo um conselho de guerra. Ebede-Meleque foi imediatamente até o rei, já que o caso não admitia atraso: o profeta poderia ter morrido se ele tivesse menosprezado ou adiado o assunto até que tivesse a oportunidade de falar com o rei em particular.

Com ousadia, Ebede-Meleque afirma diante do rei e de todos os presentes que Jeremias havia sofrido uma grande injustiça, mesmo sabendo que os príncipes eram os responsáveis, mesmo estando estes possivelmente presentes naquele momento e, ainda, mesmo sabendo que eles tinham tido o consentimento do rei.

Ebede-Meleque foi muito corajoso. Embora tivesse um posto na corte, ele estaria em perigo se sua argumentação fosse tomada como ofensa. Mas, sem pesar suas palavras e ações, preocupado apenas em fazer o bem e o que era certo, prosseguiu em seu discurso para o rei alegando que Jeremias havia sido tratado com injustiça e barbaridade.

Jeremias foi humilhado, maltratado e injustiçado pelo seu próprio povo. E no momento de grande angústia e tribulação foi um estrangeiro o enviado para interceder por ele e salvá-lo com todo cuidado e compaixão (Ez 38:12).

Texto adaptado de Bible Study Tools (comentários de Matthew Henry – Jeremias 38)

Quando nos encontrarmos na situação de Jeremias, oprimidos e injustiçados, devemos nos lembrar que Deus pode nos enviar um amigo,  ainda que dentre os mais improváveis, para nos renovar o ânimo e nos ajudar a sair do poço.

Por outro lado, podemos ser o amigo a oferecer a mão a alguém, com amor e compaixão. Como o etíope, estejamos prontos a ajudar o próximo, não importa quem seja.

* * * * * * *

Se alguém quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o servo de todos. (Mc 9:35)

355º dia: 2 Tm 1-4

Nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis (2 Tm 3:1). Sabem o que vai acontecer nestes dias de ‘tempos terríveis’? Vejam só…

“Os homens serão:

egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus.” (2 Tm 3:2-4)

Não sei vocês, mas eu, quando leio estes versos e observo o mundo ao meu redor, nos jornais, na TV, acredito que estamos muito próximos dos últimos dias, afinal, já vivemos tempos terríveis – e a cada dia tudo fica mais e mais terrível.

Mas então, o que fazer? Que tal seguir os conselhos de Paulo a Timóteo?

Devemos nos afastar do mau e dos homens que o carregam e seguir de perto os ensinamentos do evangelho, com boa conduta, com fé, com paciência, com amor e com perseverança. Devemos pregar a palavra, permanecendo preparados a tempo e fora de tempo para repreender, corrigir e exortar com toda a paciência e doutrina. (2 Tm 3:5b, 10 / 4:2)

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra. (2 Tm 3:17)