Tag Archive for discernimento

Tudo é permitido

O que é pecado? Com frequência não crentes questionam os hábitos de cristãos, taxando-os de radicais, extremistas, etc. A bebida é um caso típico. Usa-se até o milagre de Jesus, ao transformar água em vinho, para sustentar que não há problemas em ser cristão e beber. Bom, de fato, o pecado “beber” não está tipificado na bíblia. Entretanto, este mesmo livro, código de conduta para os que creem, apresenta outros motivos para que um cristão evite beber e também praticar outras ações que possam, de certa forma, escandalizar a sociedade.

  • Em primeiro lugar, devemos nos lembrar de que tudo é permitido, mas nem tudo convém (1 Co 6:12a).

    E porque algo, que não seja exatamente um pecado, não seria conveniente? Bom, eu vejo como o principal motivo o testemunho. Se o que fazemos escandaliza, de alguma forma, aqueles que estão à nossa volta e diminui as chances de que eles vejam Cristo em nós, então essa coisa, definitivamente, não convém! Portanto, se aquilo que eu como leva o meu irmão a pecar, nunca mais comerei carne, para não fazer meu irmão tropeçar (1 Co 8:13).
  • Em segundo lugar, não podemos nos esquecer de que embora tudo seja permitido, não devemos deixar que nada nos domine (1 Co 6:12b).

    A bebida o domina? Afaste-se dela. A comida o domina? Afaste-se dela. Jogos o dominam? Afaste-se deles. Não foi à toa que Salomão afirmou: Porque o beberrão e o comilão acabarão na pobreza; e a sonolência os faz vestir-se de trapos (Pv 23:21). O homem que se deixa dominar pelas coisas deste mundo, qualquer que seja, está perdido.

Que nossas vidas sejam dominadas exclusivamente pelo Soberano Senhor, para que tenhamos discernimento para fazer o que é correto aos olhos de Deus, sempre com o objetivo de disseminar o evangelho, seja com palavras ou com ações.

Confiança que salva

Acerca de Edom, assim diz o Senhor dos Exércitos: “Será que já não há mais sabedoria em Temã? Será que o conselho desapareceu dos prudentes? A sabedoria deles deteriorou-se?”
(Jr 49:7)

Temã era provavelmente uma cidade conhecida pela sabedoria de seus habitantes. Mas nem todos os sábios deste mundo reunidos podem superar o conhecimento de Deus e evitar que se cumpra a Sua vontade. A sabedoria de Temã não a pôde salvar da ira de Deus.

Para que confiar no nosso falho discernimento quando Deus nos permite desfrutar de Sua infinita sabedoria? Só o Senhor pode nos libertar. Só Ele pode nos salvar.
Creia e confie em Deus!

Não seja insensato

Alguns podem hoje se perguntar: “Por que ler Provérbios?”
Mas o sábio Salomão já nos deixou a resposta…

Eles [os provérbios] ajudarão a experimentar a sabedoria e a disciplina;
a compreender as palavras que dão entendimento;

a viver com disciplina e sensatez, fazendo o que é justo, direito e correto;
ajudarão a dar prudência aos inexperientes e conhecimento e bom senso aos jovens.
Se o sábio der ouvidos, aumentará seu conhecimento,
e quem tem discernimento obterá orientação
 para compreender provérbios e parábolas, ditados e enigmas dos sábios. 
(Pv 1:2-6)

As palavras registradas em Provérbios servem para todos nós!

“E de onde vem a sabedoria?”

O temor do Senhor é o princípio do conhecimento (Pv 1:7a), por isso, não seja sábio aos seus próprios olhos; tema ao Senhor e evite o mal (Pv 3:7).

Apenas os insensatos desprezam a sabedoria e a disciplina.
Não abandone a sabedoria, e ela o protegerá; ame-a, e ela cuidará de você. Dedique alta estima à sabedoria, e ela o exaltará; abrace-a, e ela o honrará.
(Pv 1:7b / 4:6,8)

O nosso discernimento é a manifestação de Deus em nós. Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas (Pv 3:5-6).

Do lamento à nobreza

No Salmo 69, o rei Davi declara:

Salva-me, ó Deus!, pois as águas subiram até o meu pescoço. 
Tu bem sabes como fui insensato, ó Deus; a minha culpa não te é encoberta.
Não se decepcionem por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor, Senhor dos Exércitos! Não se frustrem por minha causa os que te buscam, ó Deus de Israel! (Sl 69:1, 5-6)

Observe as atitudes de Davi em um momento de angústia:

1) Davi pede por socorro.
Qualquer um de nós faria isso, não é? Mas o clamor de Davi não se encerra com a petição…

2) Davi vai além e reconhece diante de Deus sua insensatez, sua culpa.
Acredito que em um momento de dificuldade, poucas pessoas teriam discernimento para chegar a este ponto. Em geral somos tomados pelo desespero e passamos a lamentar, lamentar e lamentar, nada além disso. Quase sempre não conseguimos vislumbrar qual foi a causa do nosso problema – e muitas vezes, somos nós mesmos.

Se chegar ao passo 2 parece difícil, surpreenda-se: o rei Davi foi ainda além…

3) Davi se preocupa com seu testemunho.
Tendo reconhecido o seu provável erro, agora o rei se preocupava com a fé dos outros. Certo de sua influência, temeu que sua situação afastasse pessoas de Deus. Que sentimento nobre!

E nós, como estamos agindo nos momentos de angústia e tribulação?
Quando enfrentar uma situação difícil, lembre-se dessas palavras de Davi e se esforce para transformar uma reação instintiva de lamento em um sentimento de nobreza.

257º dia: Ez 12-14

Falsos profetas como os citados no capítulo 14 de Ezequiel sempre existiram e ainda estão por aí, levando milhares de pessoas a acreditarem em suas falsas palavras. Tudo isso em troca de popularidade, poder e até riqueza.

Somos individualmente responsáveis por nossa salvação. Ter um líder espiritual é algo bom, alguém como o pastor de ovelhas que a bíblia tanto usa como ilustração, que ajuda as ovelhas perdidas a enxergarem os caminhos por onde devem andar, é algo importante na nossa vida espiritual. Mas, devemos tomar cuidado para não sermos enganados por falsos profetas, que pregam a alegria, quando na verdade teremos tristeza, ou pregam a prosperidade, quando na verdade teremos uma vida miserável, e assim por diante.

Se o próprio Jesus deixou claro que a vida neste mundo não seria fácil – no mundo tereis aflições (Jo 16:33b) – será que é certo alguém tentar nos convencer de que com certeza seremos plenamente felizes enquanto vivermos?

Como, então, saber distinguir o bom pastor do falso profeta? Há um caminho: Conhecer a palavra de Deus e buscar uma vida de comunhão com o SENHOR. Assim, teremos discernimento para fugir de mentiras e procurar líderes que nos conduzam pelo bom caminho.

156º dia: Pv 15-18

Não há muito o que falar a respeito de palavras tão sábias, então, escolhi alguns versos para reproduzir aqui.

Um bom domingo a todos!

“Quem tem conhecimento é comedido no falar, e quem tem entendimento é de espírito sereno.”
“O coração do justo medita no que há de responder, mas a boca dos ímpios jorra coisas más.”
“A boca do tolo é a sua própria destruição, e os seus lábios um laço para a sua alma.”
“Quem responde antes de ouvir, comete insensatez e passa vergonha.”
“Até o insensato passará por sábio, se ficar quieto, e, se contiver a língua, parecerá que tem discernimento.”
Pv 17:27 / 15:28 / 18:7,13 / 17:28

“Consagre ao SENHOR tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.”
“Os retos fazem o seu caminho desviar-se do mal; o que guarda o seu caminho preserva a sua alma.”

“Quem retribui o bem com o mal, jamais deixará de ter mal no seu lar.”
“Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade.”
Pv 16:13, 17 / 17:13 / 16:32
“Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o SENHOR avalia o espírito.”
“O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos.”
“O crisol é para a prata, e o forno para o ouro; mas o SENHOR é quem prova os corações.”
Pv 16:2, 9 / 17:3