Tag Archive for esperança

Leia a bíblia

Ler a bíblia é algo muito prazeroso.

É gostoso descobrir os detalhes das histórias famosas, conhecer histórias incríveis que não são tão famosas, perceber que cada história se relaciona com as outras de forma única, como se fossem uma única…

Que bom descobrir que personagens de destaque eram tão humanos como nós.
Que bom conhecer o plano de Deus para nossas vidas!

Muitas vezes, ao ler a Palavra de Deus, é como se alguém estivesse falando com a gente diretamente… E está! Leia a bíblia e ouça o que Deus tem a te dizer.

Um bom texto para começar está na leitura de hoje (1 Pe 1:3-9):

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo!

Conforme a sua grande  misericórdia, Ele nos regenerou para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança que jamais poderá perecer, macular-se ou perder o seu valor. Herança guardada nos céus para vocês que, mediante a fé, são protegidos pelo poder de Deus até chegar a salvação prestes a ser revelada no último tempo.

Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação.

Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm é genuína e resultará em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado.

Mesmo não o tendo visto, vocês o amam; e apesar de não o verem agora, creem nEle e exultam com alegria indizível e gloriosa, pois vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas.

Eu espero Jesus

Um professor de escola dominical deu a cada menino em sua aula um Novo Testamento e incentivou cada um deles a escrever seu próprio nome na capa.

Várias semanas mais tarde, depois de convidar repetidamente os meninos a receberem a Cristo como seu Salvador, ele pediu que eles escrevessem estas palavras sob seu nome: “Eu aceito Jesus”. Porém, em vez disso um dos meninos escreveu “Eu espero Jesus”. Ao conversar com o menino, o professor ele percebeu que ele sabia bem o que tinha escrito – Ele não só confiou no Senhor para a salvação, mas esperava que ele estivesse com ele em todos os momentos e para fazer tudo o que Ele havia prometido.

A declaração deste menino é um comentário simples – mas profundo – sobre o verdadeiro significado da fé.

Em Atos 27, vemos a fé esperançosa do apóstolo Paulo. Ele era um prisioneiro sendo transportado de navio para Roma, quando uma violenta tempestade se levantou e ameaçou destruir o navio. Durante a noite, um anjo do Senhor disse a Paulo que todos iriam sobreviver (At 27:23-24). Ele sabia que podia confiar na palavra do Senhor. No meio da tempestade, ele disse, creio em Deus, que há de acontecer assim como a mim me foi dito (At 27:25). E assim foi.

Não deve ser nenhuma surpresa para nós quando Deus guarda a sua palavra. É isso o que devemos esperar dEle.

Fonte: Our Daily Bread

Confiança na vida eterna

Portanto, temos sempre confiança e sabemos que, enquanto estamos no corpo, estamos longe do Senhor.
Porque vivemos por fé, e não pelo que vemos.
Temos, pois, confiança e preferimos estar ausentes do corpo e habitar com o Senhor. (2 Co 5:6-8)

Paulo não tinha medo de morrer porque confiava que passaria a eternidade com Cristo. É claro que enfrentar o desconhecido pode nos causar ansiedade, e a possibilidade de  deixar nossos amados é algo que nos fere profundamente. Mas, se cremos em Jesus Cristo, podemos compartilhar a mesma esperança e confiança que Paulo tinha da vida eterna com Cristo.

Para aqueles que creem em Cristo, a morte é apenas uma passagem para a vida eterna com Deus. Continuaremos a viver. Que esta verdade lhe dê confiança e o inspire a servir fielmente a Deus.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Ânimo ao coração

Crente de verdade

Nem sempre o que parece é.

Nas igrejas por aí há muitos que se dizem crentes, batizados, que participam da ceia, às vezes muito assíduos aos cultos, mas no fundo do coração, ainda não se converteram de fato.

Há muitos motivos para este fenômeno. O principal deles, ao meu ver, é a aceitação social – alguém que está cercado de crentes, se faz passar por crente para ser aceito.

Vejam a história de Simão (Atos 8:9-24). Considerado um deus pelo povo de Samaria, Simão deve ter se sentido diminuído quando os seus seguidores passaram a seguir a Jesus Cristo de pois de terem ouvido de Filipe as mensagens das boas novas. Não pensou duas vezes: “converteu-se” e foi “batizado”. Tornou-se um seguidor de Filipe, maravilhado com o que ouvia e via, talvez tentando se aproximar com o objetivo de descobrir qual seria o truque por trás dos milagres operados. Simão de fato parecia ser um crente, mas não era. Sua conversão foi por interesse, seu batismo, um mergulho em água. Isso ficou evidente quando ele tentou comprar o poder do Espírito Santo…

A história de Simão nos ensina algumas coisas:

1- Não basta afirmar ser crente em Jesus, é preciso se entregar de coração a Cristo. Você pode até enganar aos homens, mas Deus sabe o que há no coração.

2- Infelizmente, nem todos em uma igreja são crentes verdadeiros. Satanás deseja nos atacar até mesmo onde somos mais fortes, reunidos para adorar a Deus, portanto, não se afaste de sua igreja se encontrar alguém que não se encaixa no perfil de um cristão. Talvez essa pessoa ainda não tenha tido a oportunidade de se converter verdadeiramente. Ore por ela. Você estará ajudando-a a encontrar o caminho e fortalecendo a igreja de Cristo.

3- Há esperança. Ao perceber que Simão não havia se convertido de coração, Pedro lhe repreendeu, dizendo: Arrependa-se dessa maldade e ore ao Senhor. Talvez ele lhe perdoe tal pensamento do seu coração, pois vejo que você está cheio de amargura e preso pelo pecado (At 8:22-23). Esvazie-se da amargura e do pecado. Arrependa-se e ore ao Senhor. Ele perdoará aqueles de coração sincero.

Em qualquer circunstância

A ressurreição de Jesus encheu os apóstolos de esperança. Cheios do Espírito Santo, pregavam as boas-novas do evangelho por onde iam, anunciavam e exaltavam o nome de Jesus Cristo.

Por este motivo, foram presos. Os líderes religiosos de Israel não podiam suportar o fato de que Jesus ainda estava presente, ainda que morto, e menos ainda a quantidade crescente de seguidores que os apóstolos reuniam dia após dia.

Para não causar um tumulto ainda maior, decidiram libertar os presos.

Chamaram os apóstolos e mandaram açoitá-los. Depois, ordenaram-lhes que não falassem em nome de Jesus e os deixaram sair em liberdade.
Os apóstolos saíram do Sinédrio, alegres por terem sido considerados dignos de serem humilhados por causa do Nome.
Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo.
(At 5:40-42)

Depois de açoitados, os apóstolos estavam doloridos, sujos, ensanguentados e… Felizes! Mesmo cientes de que poderiam passar por toda essa situação novamente – prisão, humilhação, açoite – não deixaram de proclamar que Jesus é o Cristo.

Não importam as circunstâncias…

Seremos felizes se nossas vidas estiverem cheias do amor e misericórdia de Deus.

Não importam as circunstâncias…

Devemos anunciar em todos os lugares as boas novas de Cristo.

Restaurando o relacionamento

Deus ama perfeita e completamente. E Seu amor é u a atitude em ação – presenteando, guiando e guardando. Ele é completamente verdadeiro, fiel para com Suas promessas e o seu povo escolhido. Mas constantemente rejeitam o Senhor, quebram a aliança, seguem outros deuses e vivem por si mesmos. Assim seu relacionamento com o Deus amoroso está quebrado, como um vaso caído ao chão.

Mas a ruptura não é irreparável; a esperança não está completamente perdida. O Senhor pode curar, consertar ou fabricar o vaso novamente. O perdão está disponível e é precisamente a graça de Deus.

Esta é a mensagem de Malaquias, o profeta de Deus em Jerusalém. Suas palavras lembravam aos judeus, a nação escolhida do Senhor, de sua desobediência voluntária, a começar pelos sacerdotes (Ml 1:1 a 2:29), e também incluía cada um em particular (Ml 2:10 a 3:15). Eles mostraram desprezo pelo nome de Deus (Ml 1:6), ofereceram sacrifícios profanos (Ml 1:7-14), levaram outros ao pecado (Ml 2:7-9), infringiram as leis do Senhor (Ml 2:11-16), chamaram o mal de “bem” (Ml 2:17), guardaram os dízimos e as ofertas de Deus para si mesmos (Ml 3:8-9) e tornaram-se arrogantes (Ml 3:13-15). O relacionamento foi rompido, então experimentariam o juízo e o castigo.

Em meio a tanta maldade, porém, havia alguns fiéis – o remanescente – aqueles que amavam e honravam a Deus. O Senhor derramaria Suas bênçãos sobre estes homens e mulheres (Ml 3: 16-18).

Malaquias traz um retrato impressionante da deslealdade de Israel, mostrando claramente que o povo era merecedor do castigo. Mas toda esta mensagem está entretecida com a esperança – a possibilidade de perdão. Este fato está graciosamente expresso em Ml 4:2…

Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria.

Malaquias conclui seu livro com uma promessa do “profeta Elias”, que oferecerá o perdão de Deus a todas as pessoas através do arrependimento e da fé (Ml 4:5-6).

O livro de Malaquias constitui uma ponte entre o Antigo e o Novo Testamento. Ao lê-lo, considere-se como o destinatário desta mensagem que Deus envia ao seu povo. Avalie a profundidade de seu compromisso, a sinceridade de sua adoração e a direção de sua vida. Então permita que o Senhor restaure seu relacionamento com Ele através de Seu amor e de Seu perdão.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Fôlego para louvar

Aleluia! Aleluia!

Como é bom cantar louvores ao nosso Deus!
Como é agradável e próprio louvá-lo!
Só ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas.
O Senhor se agrada dos que o temem, dos que colocam a esperança no seu amor leal.

Grande é o nosso Soberano e tremendo é o seu poder.

Aleluia! Louvem o Senhor desde os céus, louvem-no nas alturas!
Louvem todos o nome do Senhor, pois somente o seu nome é exaltado;
a sua majestade está acima da terra e dos céus.

Louvem-no pelos seus feitos poderosos, louvem-no segundo a imensidão de sua grandeza!

Tudo o que tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR.

(Salmos 147:1, 3, 11, 5a / 148:1, 13 / 150:2, 6)

Calar ou falar

A história de Ester nos ensina dois importantes princípios:

1) Devemos aprender a calar

Ester ouviu o seu mentor – seu tio Mardoqueu – e manteve segredo sobre sua nacionalidade e descendência (Et 2:10). Este segredo preservou sua vida e permitiu a ela ter acesso ao rei.

Aprender a calar e ouvir pode nos dar acesso ao mundo de outra pessoa e certamente nos ajuda a entender os outros melhor. Apenas entendendo melhor as pessoas ao nosso redor poderemos verdadeiramente surtir alguma influência em suas vidas e, talvez, ajudar a mudar o curso de suas histórias.

2) Devemos aprender quando falar

Ester escolheu cuidadosamente o momento de falar e só então expôs a dura verdade:
O inimigo era o conselheiro de confiança do rei (Et 7:6a)

Manter nossa fé em segredo é um hábito quase sempre motivado pelo medo e pela vergonha. Mas Jesus emite um aviso severo para aqueles que não estão dispostos a falar em seu nome:

Porquanto, qualquer que se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos. (Mc 8:38)

O Apostolo Paulo explica por que não devemos ter vergonha de falar de Jesus:

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. (Rm 1:16)

No entanto, o falar pode significar sofrimento e Paulo entendia bem desse assunto…

Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus. (2 Tm 1:8)

O silêncio estratégico é sábio, e nos dá a oportunidade de ouvir o outro lado. Mas quando há uma oportunidade temos de estar preparados para falar e responder apropriadamente.

Estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós. (1 Pedro 3:15)

Adaptado de: Central do Sermão – A mulher que disse sim para Deus.

Louvai ao Senhor

Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, e cuja esperança está posta no SENHOR seu Deus. O que fez os céus e a terra, o mar e tudo quanto há neles, e o que guarda a verdade para sempre.

Redenção enviou ao seu povo; ordenou a sua aliança para sempre; santo e tremendo é o seu nome. 

Exaltado está o SENHOR acima de todas as nações, e a sua glória sobre os céus.
Quem é como o SENHOR nosso Deus, que habita nas alturas?
O qual se inclina, para ver o que está nos céus e na terra! 

Piedoso é o SENHOR e justo; o nosso Deus tem misericórdia.

Louvarei ao SENHOR durante a minha vida;
cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu for vivo. 

Louvai ao SENHOR todas as nações, louvai-o todos os povos.
Porque a sua benignidade é grande para conosco,
e a verdade do SENHOR dura para sempre.
Louvai ao SENHOR.

(Sl 146:5-6 / 111:9 / 113:4-6 / 116:5 / 146:2 / 117:1-2)