Tag Archive for julgamento

Infinita misericórdia

Inclina, ó Deus meu, os teus ouvidos, e ouve; abre os teus olhos, e olha para a nossa desolação, e para a cidade que é chamada pelo teu nome, porque não lançamos as nossas súplicas perante a tua face fiados em nossas justiças, mas em tuas muitas misericórdias. (Dn 9:18)

Daniel pediu misericórdia, não ajuda, porque sabia que o seu povo merecia o julgamento e a punição de Deus.

Deus envia a Sua ajuda não porque mereçamos, mas porque deseja mostrar Sua grande misericórdia.

Se Ele nos negasse Sua ajuda por causa de nosso pecados, de que poderíamos nos queixar? No entanto, quando Deus envia misericórdia em lugar da punição que merecemos, como podemos deixar de louvar e agradecer?

Beleza perfeita

Assim diz o Soberano Senhor: Você diz, ó Tiro: “Minha beleza é perfeita”.
Seu domínio abrangia o coração dos mares; seus construtores levaram a sua beleza à perfeição. (Ez 27:3-4)

A beleza de Tiro era a fonte do seu orgulho; e esta foi a razão de seu julgamento.

A presunção e o orgulho por nossas realizações devem ser um sinal de perigo para nós. Deus não é contra sentirmos prazer ou satisfação naquilo que fazemos; Ele é contra a arrogância e a soberba, pois fazem com que uma pessoa trate as demais com desprezo. Devemos reconhecer Deus como a base e a fonte de nossa vida!

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Ouçam agora, vocês que dizem:
“Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro”.

Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida?
Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa.

Ao invés disso, deveriam dizer:
“Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo”.

Agora, porém, vocês se vangloriam das suas pretensões.
Toda vanglória como essa é maligna.

Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado.

(Tg 4:13-17)

Cidade sanguinária

E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Tu, pois, ó filho do homem, porventura julgarás, julgarás a cidade sanguinária? Faze-lhe conhecer, pois, todas as suas abominações. 
(Ez 22:1-2)

Deus chama Jerusalém de “cidade sanguinária”. Através dos tempos, e até os dias de hoje, Jerusalém tem sido chamada de “cidade santa”. Mas Deus não a enxergou como santa nesta ocasião.

Ser “santo” significa ser separado, para ser consagrado ou dedicado para o propósito de Deus. Mas Jerusalém não tinha se comportado como uma cidade sagrada por um longo tempo. Agora, só era possível identificá-la como cidade sanguinária.

Deus está olhando para nós hoje… O que Deus diria a nosso respeito hoje?

Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito:
“Sede santos, porque Eu sou santo”. 

(1 Pe 1:15-16)

Sejamos santos em Cristo Jesus.

Busquem o Senhor

Busquem o Senhor enquanto se pode achá-lo; clamem por ele enquanto está perto.
(Isaías 55:6)

Isaías exorta-nos a buscar a Deus enquanto Ele está próximo. Deus não planeja afastar-se, porém, muitas vezes, O deixamos ou erguemos barreiras de pecados entre nós e Ele.

Não espere até encontrar-se à deriva, e longe de Deus, para procurá-lo. Quanto mais tempo passar, mais difícil será volta para Ele. Também existe a triste possibilidade de Deus vir a julgar os homens antes que você decida voltar. Busque a Deus agora, enquanto pode fazê-lo, antes que seja tarde demais.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

364º dia: Ap 16-18

“Tu és justo, Tu, o Santo, que és e que eras, porque julgaste estas coisas; Sim, Senhor Deus todo-poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos.” (Ap 16:5, 7)

No dia do julgamento não haverá mais chance para arrependimento, mas podemos contar com um julgamento justo; cada um será responsável pelas escolhas que fez em sua vida – nada além disso. Se optamos hoje por trilhar o caminho guiado por Deus, não haverá o que temer.

362º dia: Ap 10-12

Para refletir

É chegado o tempo em que os mortos serão julgados. E haverá recompensa para os servos de Deus, aqueles que temem o Seu nome, tanto pequenos como grandes, porém destruição é o que está reservado para os que destroem a terra. (Ap 11:18)

255º dia: Ez 4-7

No dia do julgamento nenhum poder e nenhuma riqueza poderá libertar os culpados.

Atirarão sua prata nas ruas, e seu ouro será tratado como coisa impura. Sua prata e seu ouro serão incapazes de livrá-los no dia da ira do Senhor e, não poderão saciar sua fome e encher os seus estômagos; serviram apenas para fazê-los tropeçar na iniquidade. (Ez 7:19)

Como bem disse Timóteo, o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males (I Tm 6:10). Não é difícil perceber como isso é verdadeiro. Vemos diariamente nos telejornais pessoas afundando suas vidas por priorizarem o dinheiro mais que tudo.

Isso não significa que não devamos desejar viver com dignidade, mas, da mesma forma como os israelitas se curvaram erroneamente diante de deuses de madeira e de metal, assim também nós não devemos nos curvar diante do dinheiro. Tudo o que possuímos é concedido por Deus e devemos consagrar a ele. Se acreditarmos que riqueza é a solução para tudo, estamos condenados à verdadeira morte.

Você já passou pela situação de querer muito alguma coisa a ponto de acreditar que não seria feliz se não a possuísse? Talvez dinheiro, um bem… Ou uma companhia, um filho… Qualquer coisa… Mas aí, ao conseguir essa coisa percebeu que ainda não estava feliz e passou a perseguir outro objetivo rumo à felicidade? Certamente você esteve procurando a felicidade nos lugares errados. Eu também já fiz isso, mas hoje eu tenho uma boa notícia pra você: Procure Jesus e Ele irá te mostrar o que é ser feliz de verdade! FIQUE COM DEUS