Tag Archive for lamento

Lágrimas

Lamentações é um poema triste, um lamento fúnebre sobre a queda de Jerusalém.

A aflição de Jeremias foi profunda. Como porta-voz de Deus ele sabia o que aguardava Judá, seu país, e Jerusalém, a capital e “cidade de Deus”. O julgamento do Senhor e a destruição sobreviriam. Assim, Jeremias chorou. Suas lágrimas não foram derramadas por motivos egoístas: ele não se lamentou por causa de uma perda ou sofrimento pessoal. Chorou porque o povo tinha rejeitado o seu Senhor, o Deus que os tinha criado, amado e que repetidamente tentava abençoar Judá. O coração de Jeremias estava partido porque ele sabia que o egoísmo e o pecado do povo acarretaria muito sofrimento e um exílio prolongado. As lágrimas de Jeremias foram de empatia e simpatia por seu povo. Seu coração estava ferido pelas mesmas atitudes que ferem o coração de Deus.

Aquilo que faz uma pessoa chorar diz muito a seu respeito; pode indicar se ela é egoísta, egocêntrica, ou se tem o coração voltado para Deus.

Qual a causa de suas lágrimas? Você chora por que seu orgulho egoísta tem sido ferido ou por que as pessoas à sua volta levam uma vida pecaminosa e rejeitam o Deus que as ama ternamente? Você chora por ter perdido algo valioso ou por que todas as pessoas à sua volta sofrerão devido à pecaminosidade em que vivem? Nosso mundo está cheio de injustiça, pobreza, guerra e rebelião contra Deus; todas estas coisas deveriam fazer-nos chorar e também agir no sentido de pregar a salvação. Leia Lamentações e aprenda o que entristece a Deus.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Dia do Senhor

Criador de galáxias, átomos e leis naturais, o soberano Senhor reina sobre tudo o que existe e será sempre assim. Que tolice viver sem Deus, que estupidez correr e esconder-se de Sua presença, e quão ridículo é desobedecer-lhe. Mas nós o fazemos. Desde o Éden estamos sempre à procura de sermos independentes de Seu controle como se fôssemos deuses com o poder de controlar nosso próprio destino. E Ele tem permitido nossa rebelião. Mas, muito em breve, chegará o Dia do Senhor.

Naquele dia Deus julgará toda iniquidade e toda desobediência – todas as contas serão ajustadas e o que está torto será endireitado. Este é o tema do livro escrito pelo profeta Joel, que leva o seu nome.

Joel afirma que nosso Criador, o Juiz Onipotente, também é misericordioso e deseja abençoar todos aqueless que confiam nEle. Portanto, Joel insiste que todos devem abandonar seus pecados e buscar a Deus. Na verdade, todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo (Jl 2:32).

“Agora, porém”, declara o Senhor,
“voltem-se para mim de todo o coração, com jejum, lamento e pranto.”

Rasguem o coração, e não as vestes.
Voltem-se para o Senhor, para o seu Deus,
pois ele é misericordioso e compassivo, muito paciente e cheio de amor; arrepende-se, e não envia a desgraça.

(Jl 2:12-13)

Do lamento à nobreza

No Salmo 69, o rei Davi declara:

Salva-me, ó Deus!, pois as águas subiram até o meu pescoço. 
Tu bem sabes como fui insensato, ó Deus; a minha culpa não te é encoberta.
Não se decepcionem por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor, Senhor dos Exércitos! Não se frustrem por minha causa os que te buscam, ó Deus de Israel! (Sl 69:1, 5-6)

Observe as atitudes de Davi em um momento de angústia:

1) Davi pede por socorro.
Qualquer um de nós faria isso, não é? Mas o clamor de Davi não se encerra com a petição…

2) Davi vai além e reconhece diante de Deus sua insensatez, sua culpa.
Acredito que em um momento de dificuldade, poucas pessoas teriam discernimento para chegar a este ponto. Em geral somos tomados pelo desespero e passamos a lamentar, lamentar e lamentar, nada além disso. Quase sempre não conseguimos vislumbrar qual foi a causa do nosso problema – e muitas vezes, somos nós mesmos.

Se chegar ao passo 2 parece difícil, surpreenda-se: o rei Davi foi ainda além…

3) Davi se preocupa com seu testemunho.
Tendo reconhecido o seu provável erro, agora o rei se preocupava com a fé dos outros. Certo de sua influência, temeu que sua situação afastasse pessoas de Deus. Que sentimento nobre!

E nós, como estamos agindo nos momentos de angústia e tribulação?
Quando enfrentar uma situação difícil, lembre-se dessas palavras de Davi e se esforce para transformar uma reação instintiva de lamento em um sentimento de nobreza.

Lamentar não resolve

Há mais de um ano Davi estava abrigado na cidade filistéia de Ziclaque. Mas agora o rei Aquis queria Davi e seus soldados reunidos à sua tropa, na guerra contra Saul. Davi não poderia ter rejeitado o pedido do rei Aquis, pois isso despertaria a ira do rei e colocaria em risco a vida de todos aqueles que o acompanhavam. Mas Deus deu a Davi o livramento; ele não precisou lutar contra o seu próprio povo, já que os líderes filisteus não se sentiram confortáveis com sua presença. (1 Sm 28:1-5)

Certamente aliviado, Davi retornou à Ziclague, mas encontrou a cidade destruída. Os amalequitas incendiaram a cidade e levaram as mulheres e crianças como prisioneiros. (1 Sm 30:1-5)

A angústia invadia os habitantes de Ziclaque e estes, lamentando sua perda, quiseram apedrejar Davi, culpando-o pelo acontecido. Davi também estava amargurado, mas fortaleceu-se no SENHOR e agiu para contornar a situação, que resultou na recuperação de todos os bens saqueados pelos amalequitas, incluindo o resgate das esposas e crianças – tudo foi recuperado por Davi e devolvido aos habitantes de Ziclague. (1 Sm 30:1:19)

Lamentar, chorar e procurar um culpado para uma situação ruim é muito fácil. Mas buscar forças para enfrentar as dificuldades não é. Não somos fortes o suficiente, mas Deus é fonte inesgotável de força. Como Davi, devemos buscar no SENHOR a força para enfrentar as adversidades – Ele nos dará a vitória.

177º dia: Jl 1-3

Joel anuncia o dia do SENHOR, quando todos os pecados serão lavados da face da terra.

Ah! Aquele dia! Sim, o dia do Senhor está próximo; como destruição poderosa da parte do Todo-poderoso, ele virá. Toquem a trombeta em Sião; dêem o alarme no meu santo monte. Tremam todos os habitantes do país, pois o dia do Senhor está chegando. Está próximo!

O Senhor levanta a sua voz à frente do seu exército; Como é grande o seu exército! Como são poderosos os que obedecem à sua ordem! Como é grande o dia do Senhor! Como será terrível! Quem poderá suportá-lo? (Jl 1:15 / 2:1, 11)

O dia do SENHOR está próximo e quem poderá suportá-lo? Que bom que Joel continuou seu relato inspirado por Deus para nos responder…

Assim diz o SENHOR:

Agora, porém, voltem-se para mim de todo o coração, com jejum, lamento e pranto. Rasguem o coração, e não as vestes. Voltem-se para o Senhor, para o seu Deus, pois ele é misericordioso e compassivo, muito paciente e cheio de amor; arrepende-se, e não envia a desgraça.

Não tenha medo, ó terra; regozije-se e alegre-se. O Senhor tem feito coisas grandiosas!

E todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo, pois, conforme prometeu o Senhor, no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento para os sobreviventes, para aqueles a quem o Senhor chamar. (Jl 2:12, 13, 21 e 32)

51º dia: Nm 11 a 14

Tão pouco faltava para alcançarem seu destino, mas os israelitas não tiveram paciência. Eles viam todos os dias o milagre do maná diante de suas tendas, mas já não era mais suficiente… Queriam de volta a comida abundante do Egito, que lhes era dada ‘de graça’ (Nm 11:5), apenas com o custo da escravidão. Deus ouviu os lamentos do povo, e lhes ofereceu a carne tão desejada, porém, por terem rejeitado ao Senhor, muitos adoeceram e até morreram… Pecado traz consequências. Assim como Israel, estamos sempre prontos a pecar… Mas será que estamos prontos para arcar com as consequências dos nossos pecados?

Moisés, por sua vez, ao ouvir os murmuros do povo, também reclamou, mas sua atitude, diferentemente que os outros estavam fazendo, foi de reverência à Deus. A essa altura do campeonato Moisés devia estar exausto. Milhares de pessoas sob sua liderança, responsabilidades enormes debaixo de suas mãos. Moisés não simplesmente murmurou, mas abriu seu coração em oração a Deus (Nm 11:11-15) e Deus lhe respondeu positivamente, permitindo que tivesse ajudadores na liderança do povo (Nm 11:16 e 17).

Neste ponto, o povo de Israel já tinha presenciado inúmeros milagres e também já sabiam que a desobediência a Deus trazia consequências, mas… Continuaram os murmuros e, dessa vez, à porta da terra prometida. Simplesmente se renderam à incredulidade de dez dos doze espias e se recusaram a entrar na terra. Apenas dois homens tiveram a fé que Deus esperava de todo o povo: Calebe e Josué. Mas a grande maioria preferia voltar para o Egito, duvidando do poder de Deus em lhes conceder vitória. Como consequência dessa desobediência, permanereceriam vagando pelo deserto por mais quarenta anos, até que chegasse uma nova geração. (Nm 14)

Confiar em Deus plenamente é o caminho para não vagarmos pelos desertos da vida.