Tag Archive for orgulho

O orgulho do império

No auge de seu poder, o Império Babilônico parecia inabalável. Mas quando a Babilônia acabasse de servir ao propósito de Deus de castigar Judá por seus pecados, seria castigada e esmagada por causa de sua iniquidade (a Babilônia foi destruída em 539 a.C).

O orgulho era o pecado característico da Babilônia. Esse sentimento sobrevêm quando nos sentimos auto-suficientes ou acreditamos que não precisamos de Deus. As nações e as pessoas orgulhosas, no fim, sempre fracassam, porque se recusam a reconhecer a Deus como aquele que tem o poder supremo.

Então tropeçará o soberbo, e cairá, e ninguém haverá que o levante;
e porei fogo nas suas cidades, o qual consumirá todos os seus arredores. 

(Jr 50:32)

Livrar-se do orgulho não é fácil, mas se pudermos admitir que ele frequentemente nos domina e pedirmos a Deus para nos perdoar, o Senhor nos ajudará a vencê-lo. O melhor antídoto para o orgulho é colocar a nossa atenção na grandeza e na bondade de Deus.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Lágrimas

Lamentações é um poema triste, um lamento fúnebre sobre a queda de Jerusalém.

A aflição de Jeremias foi profunda. Como porta-voz de Deus ele sabia o que aguardava Judá, seu país, e Jerusalém, a capital e “cidade de Deus”. O julgamento do Senhor e a destruição sobreviriam. Assim, Jeremias chorou. Suas lágrimas não foram derramadas por motivos egoístas: ele não se lamentou por causa de uma perda ou sofrimento pessoal. Chorou porque o povo tinha rejeitado o seu Senhor, o Deus que os tinha criado, amado e que repetidamente tentava abençoar Judá. O coração de Jeremias estava partido porque ele sabia que o egoísmo e o pecado do povo acarretaria muito sofrimento e um exílio prolongado. As lágrimas de Jeremias foram de empatia e simpatia por seu povo. Seu coração estava ferido pelas mesmas atitudes que ferem o coração de Deus.

Aquilo que faz uma pessoa chorar diz muito a seu respeito; pode indicar se ela é egoísta, egocêntrica, ou se tem o coração voltado para Deus.

Qual a causa de suas lágrimas? Você chora por que seu orgulho egoísta tem sido ferido ou por que as pessoas à sua volta levam uma vida pecaminosa e rejeitam o Deus que as ama ternamente? Você chora por ter perdido algo valioso ou por que todas as pessoas à sua volta sofrerão devido à pecaminosidade em que vivem? Nosso mundo está cheio de injustiça, pobreza, guerra e rebelião contra Deus; todas estas coisas deveriam fazer-nos chorar e também agir no sentido de pregar a salvação. Leia Lamentações e aprenda o que entristece a Deus.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Beleza perfeita

Assim diz o Soberano Senhor: Você diz, ó Tiro: “Minha beleza é perfeita”.
Seu domínio abrangia o coração dos mares; seus construtores levaram a sua beleza à perfeição. (Ez 27:3-4)

A beleza de Tiro era a fonte do seu orgulho; e esta foi a razão de seu julgamento.

A presunção e o orgulho por nossas realizações devem ser um sinal de perigo para nós. Deus não é contra sentirmos prazer ou satisfação naquilo que fazemos; Ele é contra a arrogância e a soberba, pois fazem com que uma pessoa trate as demais com desprezo. Devemos reconhecer Deus como a base e a fonte de nossa vida!

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Ouçam agora, vocês que dizem:
“Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro”.

Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida?
Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa.

Ao invés disso, deveriam dizer:
“Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo”.

Agora, porém, vocês se vangloriam das suas pretensões.
Toda vanglória como essa é maligna.

Pensem nisto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado.

(Tg 4:13-17)

A fraqueza da idolatria

Assim diz o Senhor, o rei de Israel, o seu redentor, o Senhor dos Exércitos: “Eu sou o primeiro e eu sou o último; além de mim não há Deus.” (Is 44:6)

Como pode um marceneiro usar parte da madeira que é seu material de trabalho para construir para si um ídolo e acreditar que este pedaço de madeira, que bem poderia ter sido usado para outra finalidade, pode salvá-lo? (Is 44:13-20)

Parece uma situação tola, mas cenas semelhantes não são privilégio dos tempos de Isaías – até os dias hoje a idolatria tenta dominar o lugar de Deus em nossas vidas. E na verdade, um ídolo nada mais é do que a materialização do desejo do homem em ter ele próprio poder – a idolatria evidencia nossa dificuldade de sujeição, de submissão. O orgulho e a soberba nos faz acreditar facilmente em objetos feitos por nós.

E um ídolo não precisa necessariamente ser uma estátua em forma humana – a idolatria está mais presente em nossas vidas do que podemos imaginar: qualquer item amado vira logo um amuleto – roupas, animais de estimação, dinheiro…

Somos fracos e precisamos depender de Deus, o único Senhor, para poder nos livrar de qualquer ato de idolatria que porventura estejamos mantendo, ainda que sem perceber.

Orgulho e vaidade

Quem planejou isso contra Tiro, contra aquela que dava coroas, cujos comerciantes são príncipes, cujos negociantes são famosos em toda terra?
O Senhor dos Exércitos o planejou para abater todo orgulho e vaidade e humilhar todos os que tem fama na terra. (Is 23:8-9)

O orgulho foi o principal motivo da destruição de Tiro. O orgulho nos afasta de Deus, afinal, como exaltar a nós mesmos por conquistas que são concedidas por Deus? Não há qualquer motivo para sentirmos orgulho de nós mesmos. Tudo o que somos depende de Deus. A Ele seja toda a honra!

Clique aqui e leia mais sobre o orgulho do reino de Tiro

Satisfação, orgulho, esquecimento

Quando eu os alimentava, ficavam satisfeitos; quando ficavam satisfeitos, se orgulhavam, e então me esqueciam (Os 13:6). Isso foi o que Deus declarou a respeito de Israel, por meio do profeta Oséias.

Não desejo ter a mesma afirmação dita a meu respeito, espero que você também pense assim. Mas o orgulho é um fantasma que nos ronda. Desejamos a prosperidade e a pedimos a Deus, mas, quando a recebemos, grande ou pequena, nos esquecemos logo de que é o Senhor que concede todas as coisas. Precisamos evitar o orgulho, mas, caso ele nos ataque, a solução imediata deve ser a mesma recomendada por Oséias: Volte, ó Israel, para o Senhor, para o seu Deus (Os 14:1b). Nunca é tarde para buscar a Deus. Ele está sempre pronto para nos receber, de braços abertos.

Quem é sábio? Aquele que considerar essas coisas. Quem tem discernimento? Aquele que as compreender. Os caminhos do Senhor são justos; os justos andam neles, mas os rebeldes neles tropeçam. (Os 14:9)

Os seis Ais

Em Isaías 5, Deus condena seis pecados de Israel. Será que ainda cometemos os mesmo erros?

Avareza e exploração dos semelhantes
Ai de vocês que adquirem casas e mais casas, propriedades e mais propriedades até não haver mais lugar para ninguém e vocês se tornarem os senhores absolutos da terra. (Is 5:8)

Embriaguez
Ai dos que se levantam cedo para embebedar-se, e se esquentam com o vinho até à noite e dos que são campeões em beber vinho e mestres em misturar bebidas (Is 5:11, 22)

Orgulho pelo pecado
Ai dos que se prendem à iniquidade com cordas de engano, e ao pecado com cordas de carroça, e dizem: “Que Deus apresse a realização da sua obra para que a vejamos; que se cumpra o plano do Santo de Israel, para que o conheçamos”. (Is 5:18-19)

Confusão dos padrões morais
Ai dos que chamam ao mal bem e ao bem, mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo, doce e do doce, amargo. (Is 5:20)

Presunção
Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos e inteligentes em sua própria opinião. (Is 5:21)

Perversão da justiça
Ai dos que por suborno absolvem o culpado, mas negam justiça ao inocente.
(Is 5:23)

Orgulho e destruição

Obadias, o livro mais curto do Antigo Testamento, representa um dramático exemplo da resposta de Deus a qualquer um que maltrate seus filhos. Edom era uma nação montanhosa que ocupava uma região a sudoeste do mar Morto. Como descendentes de Esaú (Gn 25:19 – 27:45), os edomitas tinham um parentesco de sangue com Israel e, como seu pai, eram guerreiros robustos, impetuosos e orgulhosos. Pertenciam a uma nação que, por estar no alto da montanha, parecia ser invencível. De todos os povos, deveriam ser os primeiros a se apressar para ajudar seus irmãos do Norte. Ao contrário, entretanto, apreciavam com maligna satisfação os problemas de Israel, capturavam e devolviam os fugitivos e até saqueavam os seus campos.

Obadias transmitiu a mensagem de Deus aos edomitas. Por causa de sua indiferença em relação a Deus, por terem-no desafiado, e também pelo orgulho, covardia e traição aos seus irmãos de Judá, foram condenados e seriam destruídos. Este livro começa com o anúncio do desastre que estava prestes a sobrevir em Edom (Ob 1:1-9). A despeito de suas montanhas e penhascos inexpugnáveis, não seriam capazes de escapar do juízo divino. Portanto, Obadias, explicou-lhes a razão de sua destruição (1: 10-14) – sua ousada arrogância perante Deus e a perseguição aos seus filhos. Esta concisa profecia termina com a descrição do “dia do Senhor” quando o castigo atingirá todos aqueles que maltratam o povo de Deus (1:15-21).

Hoje, a santa nação de Deus é Sua igreja – isto é, todos aqueles que confiam em Cristo para a Salvação e entregam sua vida a Ele. Estes homens e mulheres são filhos renascidos e adotados por Deus. Ao ler o livro de Obadias, procure assimilar em um relance o que significa ser filho de Deus e estar sob seu amor e proteção. Veja como o Pai Celestial responde a todos os que agridem àqueles a quem Ele ama.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

*** Leia o livro de Obadias hoje mesmo. São apenas 21 versículos! ***

Tentação, pecado, arrependimento e perdão

1) Davi peca novamente ao numerar Israel (2 Sm 24:1-13)

O censo de Davi trouxe um desastre porque, de um modo diferente do censo feito no livro de Números (Nm 1 e 2), que havia sido ordenado por Deus, este foi feito para que Davi pudesse se orgulhar da força de seu exército. Ao determinar sua força militar, passou a confiar mais no poderio militar do que em Deus.

Há uma tênue linha divisória entre sentir-se seguro por confiar no poder de Deus e se tornar orgulhoso por ter sido usado por Deus para grandes propósitos.

2) A tentação de Satanás não justifica o ato pecaminoso de Davi (2 Sm 21:1)

O texto bíblico diz que Satanás incitou Davi a levantar o censo de Israel. Satanás pode forçar as pessoas a errar? Não. Satanás apenas tentou Davi com a ideia, mas o rei decidiu agir de acordo com a tentação. Desde o jardim do Éden, Satanás tem tentado as pessoas. O censo de Davi não era contrário à lei de Deus, mas sua motivação estava errada – o orgulho por seu poderoso exército. Esquece-se de que sua verdadeira força vinha de Deus. Até mesmo Joabe, que jamais foi conhecido por elevados ideais morais, reconheceu que este censo seria um pecado.

A partir do exemplo de Davi, aprendemos que uma ação, que pode não estar propriamente errada, pode se tornar pecaminosa se for motivada pela cobiça, pela arrogância ou pelo egoísmo. Frequentemente, nossos motivos, não a ação em si, contêm pecado. Devemos pesar constantemente nossos motivos antes de agirmos.

3) Davi se arrepende e pede perdão. É perdoado, mas sofre as consequências de seus atos (2 Sm 24:8-14)

Quando Davi conscientizou-se de seu pecado, assumiu total responsabilidade, admitiu que estava errado e pediu que Deus o perdoasse.

Muitas pessoas querem acrescentar Deus e os benefícios do cristianismo em suas vidas sem reconhecer seus pecados e culpas pessoais. A confissão e o arrependimento, porém, devem vir antes de se receber o perdão. Como Davi, devemos assumir total responsabilidade por nossas ações e confessá-las a Deus antes. Depois podemos esperar que Ele nos perdoe e continue a operar em nós.

O post de hoje é uma adaptação de: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

262º dia: Ez 28-30

O rei de Tiro era um homem sábio. Pelo seu entendimento alcançou riquezas e acumulou ouro e prata nos seus tesouros. Mas o orgulho invadiu seu coração a ponto de achar que ele próprio era Deus. Pela sabedoria do seu rei, Tiro aumentou muito suas riquezas fazendo comércio com os países vizinhos. O rei de Tiro era o modelo de perfeição, cheio de sabedoria e de perfeita beleza, mas por pensar ser tão sábio quanto Deus, este homem enterrou-se a si mesmo.

Somos tão somente homens e precisamos entender nosso lugar neste mundo. Que o orgulho não tome conta do nosso coração e que nossa sabedoria não nos encha de soberba. Saibamos usar os dons que Deus nos oferece para o louvor da Sua glória. (Ez 28:2-6, 12, 17)

Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo. (1 Pe 1:7)