Tag Archive for santidade

Santo, santo, santo

Ap4

Lei fundamental

Esta é a lei da casa: Sobre o cume do monte todo o seu contorno em redor será santíssimo; eis que esta é a lei da casa. (Ez 43:12)

A lei fundamental do Templo de Deus era a santidade.

Deus é santo, perfeito e inculpável. Não existe nEle um traço de mal ou de pecado. Da mesma maneira que Deus é santo, nós devemos ser santos (Lv 19:2 / 1 Pe 1:15-16). As pessoas se tornam santas quando se dedicam a Deus e se afastam do pecado. É importante entender o conceito de santidade, para que possamos progredir em nosso crescimento espiritual.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Sacrifício definitivo

A grande mensagem de Levítico é a santidade de Deus – “…Sejam santos porque eu, o Senhor, o Deus de vocês, sou santo” (Lv 19:2). Mas como podem pessoas pecadoras aproximar-se do Deus santo? Primeiro, é necessário lidar com o pecado. Os primeiros capítulos de Levítico fornecem instruções detalhadas para as ofertas de sacrifício, que constituíam símbolo ativo de arrependimento e obediência. Quer fossem bois jovens, grãos, cabritos ou ovelhas, as ofertas sacrificiais tinham de ser perfeitas, sem defeito ou manchas, simbolizando o sacrifício definitivo que estava por vir – Jesus, o Cordeiro de Deus. Jesus veio e abriu o caminho para Deus, dando sua vida como sacrifício final em nosso lugar. A verdadeira adoração e unidade com Deus se inicia quando confessamos os nossos pecados e aceitamos a Cristo como o único que pode nos redimir do pecado e nos aproximar de Deus.

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Puro como ouro

Em meio à discussão com seus amigos, Jó fez uma declaração confiante:

Deus conhece o caminho por onde ando; se me puser à prova, aparecerei como o ouro. Meus pés seguiram de perto as Suas pegadas; mantive-me no Seu caminho, sem desviar-me. Não me afastei dos mandamentos dos Seus lábios; dei mais valor às palavras de Sua boca, do que ao meu pão de cada dia. (Jó 23:10-12)

Neste momento os amigos de Jó devem ter ficado ainda mais indignados, já que para eles, a causa do sofrimento de Jó era o pecado em sua vida. Jó foi corajoso em dizer estas palavras, mas essa coragem veio da certeza de que era essa a verdade.

E nós, podemos fazer nossas as palavras de Jó?

Talvez não totalmente, mas podemos fazer dessas ações metas para nossas vidas, na busca pela perfeição e pela santidade, mesmo cientes das limitações impostas pela nossa natureza pecadora.

342º dia: Ef 4-6

Deus nos escolheu nEle antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença, por isso, não vivamos mais como os pagãos, que vivem na futilidade dos seus pensamentos. Pois os pagãos estão separados da vida de Deus por causa da ignorância em que estão, devido ao endurecimento dos seus corações. Perderam toda a sensibilidade, se entregaram à depravação, cometendo com avidez toda espécie de impureza. Não participemos com eles dessas coisas. Não participemos das obras infrutíferas das trevas! (Ef 1:4 / 4:17-19 / 5:7, 11)

Porque antes eramos trevas, mas agora somos luz no Senhor. E fomos ensinados em Cristo a despir-nos do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, renovando nosso modo de pensar, revestindo-nos do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade. (Ef 5:8a / 4:22-24)

Portanto, cada um de nós deve:

- abandonar a mentira e falar a verdade (Ef 4:25)

- controlar nossa ira, para que ela não nos faça pecar (Ef 4:26)

- não roubar, mas trabalhar para o nosso sustento e para repartir com os necessitados (Ef 4:26)

- controlar o que falamos, não usando palavras imorais e sim proclamando apenas o que for útil para edificar os outros (Ef 4:29)

- se livrar de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade (Ef 4:31)

- ser bondoso e compassivo uns para com os outros, perdoando-nos mutuamente, assim como Deus nos perdoou em Cristo (Ef 4:32)

Sejamos, portanto, sejam imitadores de Deus, como filhos amados; e vivamos em amor, como também Cristo nos amou e se entregou por nós como oferta e sacrifício de aroma agradável a Deus. (Ef 5:1-2)

E como conseguir se manter as características do novo homem?

Fortalecendo-nos no SENHOR e no Seu forte poder e vestindo toda a armadura de Deus, para podermos ficar firmes contra as ciladas do diabo, pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. (Ef 6:10-12)

A graça seja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade. Amém. (Ef 6:24)

64º dia: Dt 17 a 19

Moisés por diversas vezes exorta o povo para que sejam santos, como Deus. No texto de hoje, a mesma mensagem, com outras palavras: Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. (Dt 18:13)

Somos todos pecadores. Ser santo e perfeito nesse mundo talvez seja impossível, mas se não buscarmos a santidade e se não procurarmos seguir os exemplos de Jesus Cristo, será também difícil sermos santos na eternidade.

Sejamos santos, como o SENHOR, nosso Deus, é santo!

 

58º dia: Nm 34 a 36

Hoje começo com uma frase encontrada na internet e que me agradou, sobre o livro de Números:

“Embora Números nos dê um relato do povo escolhido que deixa claro que não havia neles nada de bom, a ênfase não é sobre o pecado e a tolice de Israel, mas sobre a santidade de Deus. Esse livro continua a ênfase de Levítico, de que Deus é santo e, portanto, seu povo deve ser santo. Números descreve com clareza aguda a estupidez e malignidade da obstinação do homem, e a paciência e santidade de Deus o rei.”

De fato, como o povo reclamou! O povo de Israel reclamou da escassez de comida (Nm 11:4-6 e 21:5), das dificuldades no deserto (Nm 11:1-3), de medo dos gigantes (Nm 13:33 e 14:2), etc, etc… Mas o amor de Deus permitiu que Israel chegasse até as campinas de Moabe, à porta da terra prometida.

Mais um livro que termina, mais uma vitória que Deus me concede. Sou imensamente grata pelo privilégio de estar acompanhada diariamente da palavra de Deus!

Finalizando, um outro texto encontrado na internet:

O tema do livro de Números é o serviço e o andar do povo de Deus. Nele podemos ver a severidade e a bondade de Deus. Na geração velha (que saiu do Egito) vemos a severidade de Deus, Sua justiça e a inflexibilidade da Sua Palavra. Porque o povo desobedeceu a Deus e à Sua Palavra, sofreu correção severa. Esta geração toda (menos Josué e Calabe) morreu no deserto por causa da sua incredulidade e infidelidade. Na geração nova (que nasceu no deserto e de 20 anos para baixo) vemos a bondade de Deus e a fidelidade infalível em cuprir a Sua promessa e propósito de dar ao Seu povo a terra prometida.

52º dia: Nm 15 a 17

O personagem chave do texto de hoje é Corá. Um levita, assistente no tabernáculo e insatisfeito por sua condição. Queria o posto de sacerdote!

Corá, homem influente que conveceu ‘varões de nome’ a estarem do seu lado (Nm 16:2), estava tão distante de Deus… Buscava poder, não santidade. Ele e seus seguidores foram punidos, tragados pela terra (Nm 16:32,33), mas sua história nos deixa uma grande lição: o objetivo de nossas vidas e atitudes deve ser a santidade. Podemos e devemos desejar melhorar de vida (em todos os aspectos), mas não simplesmente para satisfazer nossos próprios desejos, quaisquer que sejam. Se ter dinheiro, poder, fama, sucesso… for mais importante para nós do que buscar a Deus, então já estamos enterrados como Corá.

47º dia: Lv 24 a 27

Hoje Levítico chega ao fim. São 47 dias em 2011 com a companhia da Palavra de Deus. Têm sido dias maravilhosos!

Lendo Levítico aprendi muitas coisas. Indiscutivelmente a mensagem principal deste livro é sejam santos, porque eu, o Senhor, sou santo. Mas eu gostei particularmente do capítulo 26, onde curiosamente não há esse chamamento. O capítulo 26 resume a grandeza de Deus. O Deus que recompensa seus adoradores abundantemente, com poder para dominar sobre a terra e que deseja habitar entre seu povo (Lv 26:3-13). Mas o que mais me agrada é o final do capítulo. O Deus justo e misericordioso é a melhor mensagem (Lv 26:14-46). A graça de Deus está disponível para todos nós. Precisamos então decidir se desejamos ou não este precioso presente.

45º dia: Lv 17 a 19

Eu sou o Senhor, o Deus de vocês. Essa frase é repetida muitas vezes no texto de hoje. O povo era teimoso e se não conseguisse, durante a jornada no deserto, manter-se longe de práticas pagãs, seria quase impossível livrar-se delas, pois a terra prometida estava habitada pelo pecado (Lv 18:4). O povo precisava buscar a santidade e Deus estava mostrando o caminho a ser seguido, da maneira mais clara possível.

Diga o seguinte a toda comunidade de Israel: Sejam santos porque eu, o Senhor, o Deus de vocês, sou santo. (Lv 19:2)