Tag Archive for serviço

Tudo para a glória de Deus

1Pe4_11

Tristes mas felizes

Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte. (2 Co 7:10)

O sofrimento por nossos pecados pode resultar em mudanças de comportamento. Muitas pessoas sentem tristeza apenas pelos efeitos de seus pecados ou por terem sido surpreendidas pecando (este é o sofrimento sem arrependimento).

Compare o remorso e o arrependimento de Pedro com a amargura e o ato suicida de Judas. Ambos negaram a Cristo. Um se arrependeu e foi restaurado à fé e ao serviço; o outro tirou a própria vida.

Somente em Deus até mesmo a mais profunda tristeza se reverte em alegria. Sofreremos muitas tristezas, mas confiando em Deus, ainda que tristes, estamos felizes pela certeza da vitória!

Adaptado de Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Como servir

O evangelho de João, Capítulo 13, nos conta que, à ocasião da última ceia, antes de Jesus e os doze discípulos começarem a comer, quando já estavam reclinados à mesa, Jesus “levantou-se da mesa, tirou sua capa e colocou uma toalha em volta da
cintura. Depois disso, derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos seus discípulos, enxugando-os com a toalha que estava em sua cintura” (Jo 13:4-5). Todos ficaram muito surpresos com essa atitude do Mestre!

Ao lavar os pés dos seus discípulos, Jesus os estava ensinando a servir, a agirem como servos. Dessa atitude, então, podemos extrair sete lições de Jesus quanto ao servir. São elas:

1. Servo é aquele que faz o que outros não querem fazer

Na Palestina do primeiro século, as ruas e estradas eram poeirentas e as pessoas andavam descalças ou com sandálias. Por causa disso, ao chegarem às suas casas, seus pés estavam sujos. Assim, algumas residências tinham um escravo designado exclusivamente para lavar os pés das pessoas que ali fossem entrar. Por ser considerado um serviço dos mais “baixos” e humildes, esse escravo era tido como o menor dentre os demais.

Ao chegarem ao local onde seria realizada a última ceia, Jesus e os seus discípulos estavam com os pés sujos. Eles haviam caminhado pelas vias poeirentas para chegarem até ali. Entretanto, naquele local não havia um escravo para lhes lavar os pés. Isso, certamente, estava gerando um grande desconforto, pois eles estavam reclinados à mesa, assentados sobre almofadas e com os pés sujos próximos das pessoas e da mesa. Apesar disso, entretanto, ao que parece, ninguém se dispôs a fazer o serviço de lavar os pés. Então Jesus, percebendo que nenhum deles se prontificava a isso, se levantou e o fez. Ele fez o que os outros não queriam fazer.

2. Servo é aquele que está atento às necessidades

Ao se levantar da mesa com a intenção de lavar os pés sujos dos presentes, Jesus se mostrou atento às necessidades daquele momento. Não seria agradável e correto eles participarem de uma refeição tão importante como aquela com os pés sujos a incomodar a todos. Eles precisavam ser lavados.

3. Servo é aquele que tem o servir como prioridade

Ao perceber a necessidade dos pés sujos serem lavados e que ninguém se dispunha a fazê-lo, Jesus não deixou isso para depois, mas, prontamente se levantou. Sanar aquele problema era uma prioridade que não podia ser adiada.

4. Servo é aquele que não se importa em se humilhar

Por que nenhum dos discípulos se prontificou a lavar aqueles pés sujos? Porque aquele era o serviço do menor dos escravos e nenhum deles estava disposto a passar por isso. Jesus, entretanto, não se importou em se humilhar e servir cada um deles, como se fosse o menor. Ele se levantou e o fez porque o servir era mais importante que a reputação.

5. Servo é aquele que não se preocupa em ser o maior

Durante a ceia, Jesus disse: “O maior entre vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa, como o que serve. Pois quem é maior: o que está à mesa, ou
o que serve? Não é o que está à mesa? Mas eu estou entre vocês como quem serve” (Lc 22:26-27). Ao lavar os pés dos discípulos, Jesus, apesar de ser o Mestre e o Senhor, não se preocupando em ser o maior, tomou para si o lugar do menor.

6. Servo é aquele que tem consciência de quem é, por isso serve

Por que Jesus não se importou em se humilhar e não se preocupou em ser o maior? Porque ele tinha consciência de quem era. Ele sabia que era o Filho de Deus. Sua alma não estava marcada por complexos e rejeições que o fizessem se sentir inferior e humilhado ao fazer aquilo. João 13:3 diz: “Jesus sabia que o Pai o havia colocado todas as coisas debaixo do poder, e que viera de Deus e estava voltando para Deus”. Aquele que não tem para si, claramente, a sua identidade, não consegue servir.

7. Servo é aquele que age com altruísmo

Por fim, servo é que olha mais para a necessidade dos outros do que as próprias. Os pés de Jesus também estavam sujos. Mas ele preferiu se levantar e lavar os pés sujos dos seus discípulos. À semelhança do bom samaritano da parábola, Ele não agiu com egoísmo, mas, sim, com altruísmo, verdadeiramente amando o seu próximo (Lc 10:25-37).
Ao lavar os pés dos seus discípulos Jesus lhes ensinou o que é ser um servo. Após isso, Ele lhes disse: “Vocês me chamam ‘Mestre’ e ‘Senhor’, e com razão, pois eu o sou. Pois bem, se eu, sendo Senhor e Mestre de vocês, lavei-lhes os pés, vocês também devem lavar os pés uns dos outros. Eu lhes dei o exemplo, para que vocês façam como lhes fiz. Digo-lhes verdadeiramente que nenhum escravo é maior do que o seu senhor, como também nenhum mensageiro é maior do que aquele que o enviou. Agora que vocês sabem estas coisas, felizes serão se as praticarem” (Jo 13:13-17).

Depois de lavar os pés dos discípulos, Jesus os desafiou a fazerem o mesmo. Ele lhes havia dado um exemplo a ser seguido. Se Ele, sendo Senhor e Mestre, havia lhes lavados os pés, por que eles não fariam o mesmo? Por acaso era maiores do que Ele? Claro que não! Eles deveriam agir como servos.

* * * * * * * *

Jesus é o melhor exemplo de como servir a Deus e Ele espera que os seus discípulos de ontem e de hoje:

• Façam o que outros não querem fazer
• Estejam atentos às necessidades
• Tenham o servir como prioridade
• Não se importem em se humilhar
• Não se preocupem em serem os maiores
• Tenham consciência de quem são e sirvam
• Ajam com altruísmo

O que falta para que você se enquadre neste perfil?

Adaptado do website da Igreja Batista Central de Belo Horizonte
          Série de lições “A vida de Jesus – Lição 8: Última ceia.

Quero ser o último

Assentando-se, Jesus chamou os Doze e disse:
“Se alguém quiser ser o primeiro, será o último, e servo de todos”. 
(Mc 9:35)

Muito provavelmente foi dessa afirmativa de Jesus que surgiu o ditado popular: “Os últimos serão os primeiros”. Mas, afinal, quem quer ser o último?

Desde muito cedo surge entre nós um sentimento de competitividade – todos querendo ser o primeiro em alguma coisa. As crianças já disputam entre si: “Você pode ser melhor nisso, mas eu sou muito melhor naquilo!”

Certamente o conselho de Jesus deve frustar a muitos, afinal, como abrir mão de ser o primeiro? Mas as palavras de Jesus servem justamente para nos fazer perceber que de nada valem as coisas neste mundo, de nada adianta ser o primeiro em uma prova, em uma brincadeira, no trabalho, etc. O que isso tudo pode lhe trazer de bom? Tudo bem, talvez ser o primeiro possa sim nos proporcionar algumas coisas, concordo, mas qual destas coisas é mais preciosa do que a vida eterna? Essa é a pergunta que devemos nos fazer diariamente…

Se estivermos envidando mais esforços para sermos os primeiros aqui na terra do que para cumprir o propósito de Deus, é possível que estejamos negligenciando o serviço do Senhor e, consequentemente, nos tornando cada vez mais os últimos para o reino dos céus.

Não ser o primeiro pode não significar o fracasso e sim a vitória eterna.

Sejamos os últimos!

Agradeça as bênçãos

Mesmo quando estavam no reino deles, desfrutando da tua grande bondade na terra espaçosa e fértil que lhes deste, eles não Te serviram, ó Senhor, nem abandonaram os seus maus caminhos.

Quando foram oprimidos, clamaram a Ti. Dos céus Tu os ouviste, e na Tua grande compaixão deste-lhes libertadores, que os livraram das mãos de seus inimigos. 
Mas, tão logo voltavam a ter paz, de novo faziam o que tu reprovas. Então os abandonavas às mãos de seus inimigos para que dominassem sobre eles. E, quando novamente clamavam a Ti, dos céus Tu os ouvias e na Tua compaixão os livravas vez após vez(Ne 9:35, 27b-28)

Algumas vezes, as próprias bênçãos que Deus derrama sobre nós contribuem para que nos esqueçamos dEle. Somos frequentemente tentados a confiar nas riquezas como nossa segurança, em vez de confiarmos em Deus.

Ao considerar o que aconteceu com os israelitas, olhe para a sua própria vida. As bênçãos lhe tornam uma pessoa agradecida a Deus e lhe aproximam mais dEle, ou fazem com que você se sinta auto-suficiente e se esqueça de Deus?

Fonte: Bíblia de Estudo – Aplicação pessoal (Ed. CPAD)

Separados para trabalhar

Os levitas foram separados por Deus para o sacerdócio e para o serviço no tabernáculo. Foram escolhidos pelo próprio SENHOR (Nm 3:11-12). A eles foi designado um ministério muito importante: cuidar das coisas do Templo e interceder pelo povo junto a Deus.

Como seria bom ser levita, não é? Afinal, o trabalho pesado, as batalhas e guerras ficariam a cargo das demais tribos. Os levitas seriam sustentados pelas ofertas do povo e se dedicariam exclusivamente ao serviço. Pode até parecer que a vida desses homens era mais fácil, que eles eram privilegiados, pois tinham menos trabalho a fazer… Não é bem assim. Ser levita era muito mais difícil do que parece. Por trás do trabalho dos sacerdotes, de orientação ao povo e de realização dos sacrifícios e holocaustos, havia um grande aparato a ser conservado. E é aí que o trabalho dos demais levitas iniciava. Tudo devia ser mantido limpo e em ordem, o que não devia ser fácil, já que era um ambiente onde circulavam, além de muitas pessoas, muitos animais. Pombas, cordeiros, bodes… Já imaginou o tanto de sujeira que essa bicharada toda produzia? E depois dos sacrifícios, ficavam os utensílios sujos, as bacias, garfos, mesas… Devia ser um trabalho muito grande. Além disso, tratava-se de um povo itinerante, à procura da terra prometida. Nômades em meio ao deserto. E todo o templo era carregado a cada viagem… Toneladas de madeira, ouro, prata, bronze… Tudo era carregado pelos levitas. Não um simples trabalho, mas trabalho duro, pesado.

Desejamos ser como os levitas, separados, escolhidos por Deus? Estejamos então preparados para trabalhar. Mãos ao trabalho, crentes!

O resgate foi pago

O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. 
Sou igual a você diante de Deus; eu também fui feito do barro. (Jó 33:4,6)

Pequei e torci o que era certo, mas Deus não me deu o que eu merecia. Ele resgatou a minha alma, impedindo-a de descer à cova, e viverei para desfrutar a luz. (Jó 33:27-28)

Porque Jesus não veio a este mundo para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em nosso resgate(Mc 10:45)

Fomos comprados por alto preço. Cada gota de sangue derramado aos pés da cruz foi para nos redimir de todo pecado e nos libertar da escravidão do pecado. Portanto, devemos glorificar a Deus em tudo, com nossa vida, nosso corpo e nossa alma. (1 Co 6:20)

303º dia: Lc 7-9

E disse Jesus: “Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus.” (Lc 9:62)

Essa foi a resposta de Jesus para os que diziam que queriam segui-lo, embora precisassem primeiro terminar alguma ‘coisa importante’. (Lc 9:57-62)

Não há nada mais importante do que seguir ao SENHOR, servindo, obedecendo e anunciando o Seu reino a todos os povos. Portanto, devemos cuidar para não usar nosso trabalho, estudo, família ou qualquer outra coisa como desculpa para não buscar a Deus. Ao fazer isso, estaremos apenas nos enganando, pois para Deus “ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus”.
“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça.” (Mt 6:33a)

296º dia: Mc 1-3

Simão (ou Pedro) e seu irmão André eram pescadores na Galiléia e estavam trabalhando quando foram abordados por Jesus: “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens”. (Mc 1:16, 17)
O que você teria feito diante deste convite inusitado? Talvez respondesse com outra pergunta do tipo:
_Como? Você está falando sério? Está falando comigo? ou coisa do tipo…
Ou então se faria desentendido:
_Hã? Está falando comigo?
Quais seriam as chances de termos a mesma reação de Pedro e André? Sabe o que eles fizeram?
No mesmo instante eles deixaram as suas redes e o seguiram.” (Mc 1:18)
Não questionaram, não exitaram, não tiveram medo… Simplesmente seguiram Jesus, dispostos a serem verdadeiros pescadores de homens.
Você está pronto para seguir Jesus? Aceite o convite e seja também um pescador de homens.

219º Jr 6-8

Vocês pensam que podem roubar e matar, cometer adultério e jurar falsamente, seguir outros deuses que vocês não conheceram, e depois vir e permanecer perante Deus acreditando estarem seguros para continuar com todas essas práticas repugnantes? (Jr 7:9,10)

Não, não podem! Não podemos servir a Deus permanecer com atitudes como estas. Simplesmente porque são incompatíveis. Quando desejamos adorar a Deus de coração, naturalmente nos tornamos diferentes, o agir muda…

Assim diz o SENHOR: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. (Jr 6:16)

Se vocês realmente corrigirem a sua conduta e as suas ações, e se, de fato, tratarem uns aos outros com justiça, se não oprimirem os estrangeiros e os necessitados e não derramarem sangue inocente, e se vocês não seguirem outros deuses para a sua própria ruína, então Eu os farei habitar na terra que dei aos seus antepassados desde a antiguidade e para sempre. (Jr 7:5-7)

Não sejamos como o povo de Judá, que não ouviu as palavras de Deus, mas andou nos seus próprios conselhos, no propósito do seu coração malvado, o que os fez andar para trás e não para frente (Jr 7:24), mas estejamos atentos ao que diz o SENHOR, e prontos para agir em Seu nome:

Mas isto lhes ordenei, dizendo: “Dai ouvidos à minha voz, e eu serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo; e andai em todo o caminho que eu vos mandar, para que vos vá bem”. (Jr 7:23)