Tag Archive for Silas

O poder do testemunho

Os tessalonicenses haviam conhecido a mensagem de Boas Novas durante a segunda viagem missionária de Paulo. Ali, em Tessalônica, se formou uma igreja de grande fé, porque o evangelho não chegou a eles somente em palavra, mas também em poder, no Espírito Santo e em plena convicção (1 Ts 1:5a).

Impedidos de visitar novamente a cidade onde plantaram a boa semente, Paulo e Silas escreveram aos tessalonicenses e não pouparam elogios à boa conduta daqueles cristãos recém convertidos. Entre outros aspectos é ressaltado o bom testemunho daquela igreja local:

Tornaram-se modelo para todos os crentes que estão na Macedônia e na Acaia.
Porque, partindo de vocês, propagou-se a mensagem do Senhor na Macedônia e na Acaia. Não somente isso, mas também por toda parte tornou-se conhecida a fé que vocês têm em Deus. O resultado é que não temos necessidade de dizer mais nada sobre isso, pois eles mesmos relatam de que maneira vocês nos receberam, como se voltaram para Deus, deixando os ídolos a fim de servir ao Deus vivo e verdadeiro,
e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos: Jesus, que nos livra da ira que há de vir. 
(1 Ts 1:7-10)

Fé verdadeira resulta em bom testemunho e um bom testemunho fala mais do que mil palavras. Os tessalonicenses são um bom exemplo para nós. Desejamos evangelizar? Então devemos primeiramente cuidar para que nosso testemunho seja aquele que Deus espera de nós e condizente com as palavras que proferimos. Possivelmente iremos perceber que as palavras serão cada vez mais desnecessárias…

FIQUEM COM DEUS

Disputas e contendas

Algum tempo depois, Paulo disse a Barnabé: “Voltemos para visitar os irmãos em todas as cidades onde pregamos a palavra do Senhor, para ver como estão indo”.
Barnabé queria levar João, também chamado Marcos.
Mas Paulo não achava prudente levá-lo, pois ele, abandonando-os na Panfília, não permanecera com eles no trabalho.
Tiveram um desentendimento tão sério que se separaram. Barnabé, levando consigo Marcos, navegou para Chipre, mas Paulo escolheu Silas e partiu, encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. 
(At 15:36-40)

Neste trecho da Palavra de Deus, temos o relato de uma briga entre dois ministros, nada menos do que Paulo e Barnabé, simplesmente porque Barnabé desejava que seu sobrinho João Marcos viajasse com eles. Entretanto Paulo não achava que João Marcos fosse digno desta honra, nem que ele estaria apto para o serviço, já que durante a viagem anterior os havia abandonado sem avisar ou pedir consentimento (At 13:13). Como sabemos, este desentendimento foi resolvido e com ele se cumpriu o propósito de Deus, já que separados, puderam disseminar o evangelho a um número maior de pessoas.

Mas interessante é perceber que mesmo o melhor dos homens é apenas homem e está, portanto, sujeito às mesmas paixões que nós. Talvez tenha havido falhas de ambos os lados, como é comum em tais situações – Apenas Cristo é homem digno de servir de exemplo, imaculado. Então, não devemos estranhar se houver diferenças entre homens sábios e bons, assim como aconteceu com Paulo e Barnabé. Afinal, vai ser assim enquanto estivermos neste estado mortal imperfeito – nunca seremos todos uma só mente até chegarmos ao céu.

Precisamos entender que o mal, o orgulho e a paixão, que são encontrados até mesmo em homens de bem, fazem o mundo – e fazem a igreja!

Muitos dos que habitavam em Antioquia e que tinham ouvido falar pelo menos um pouco da devoção e da piedade de Paulo e Barnabé, agora ouviam sobre o seu litígio e separação. Assim também acontecerá conosco se dermos lugar à disputa e deixaremos de alcançar almas para Cristo enquanto alimentamos a discussão.

Em suas epístolas, escritas após este evento, Paulo fala com estima e afeto tanto de Barnabé como de Marcos.

Que todos os que confessam o Teu nome, ó piedoso Salvador, sejam completamente reconciliados por esse amor derivado de Ti, que não se irrita facilmente e que logo se esquece das feridas, enterrando-as.

Traduzido e adaptado de Bible Gateway (comentários de Matthew Henry – Atos 15)

318º dia: At 14-16

Paulo e Silas pregavam na Macedônia.

Lá encontraram uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.
Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: “Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela.” E na mesma hora saiu.
E, vendo seus senhores que a esperança do seu lucro estava perdida, prenderam Paulo e Silas, e os levaram à praça, à presença dos magistrados.
E os magistrados, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas. E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança. O qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior, e lhes segurou os pés no tronco.
E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam(At 16:16-25)

Paulo e Silas foram presos por motivo injusto. A ganância e o egoísmo falaram mais alto que a liberdade e o amor. Antes do cárcere, foram açoitados – e o texto de Lucas reforça: receberam MUITOS açoites. Agora eles estavam ali, perto da meia noite, roupas rasgadas, sangrando, pés amarrados e, ainda assim, orando e cantando hinos a Deus. Consegue se imaginar nessa situação? Eu não. Mas acredito que eu estaria lamentando minha condição.

Mais tarde o próprio Paulo escreveu: Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco (I Ts 5:18). Ele certamente já havia experimentado o consolo que vem do SENHOR quando confiamos nEle, em qualquer situação.

Mas há um outro motivo pelo qual devemos sempre dar graças a Deus: o nosso testemunho. Outros presos escutavam as orações e canções de Paulo e Silas. Imaginem só o espanto desses homens desconsolados diante das palavras de amor, louvor, gratidão… Agora imaginem como o seus colegas de trabalho, de escola, seus familiares, podem se espantar diante de sua reação positiva frente a uma situação difícil. Tentando entender o que acontece com você, muitos encontrarão a resposta, que é Jesus.

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações. Pois sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam. (Tg 1:2 / Rm 8:28)